Mau hálito é tudo igual? Conheça diferentes tipo de halitose

Ao contrário do que muitos pensam, o temido bafinho pode ter várias origens e diferentes tratamentos

23 out 2020
10h00
atualizado em 26/10/2020 às 17h56
  • separator
Foto: Pexels

Ter mau hálito é muito desagradável, tanto para quem possui quanto para quem convive com uma pessoa com halitose. Ao contrário do que muitos pensam, o temido bafinho pode ter várias origens e diferentes tratamentos. Para falar mais sobre o tema, conversamos com a dentista Bruna Conde, pós-graduada em Periodontia e em Disfunção Temporomandibular, e membro da Associação Brasileira de Halitose (ABHA). Confira:

Quais são as principais causas do mau hálito?
A halitose pode aparecer pela baixa produção de saliva, que leva a formação de saburra, uma placa geralmente esbranquiçada que se forma na língua. Para se ter ideia, em quatro horas de jejum prolongado você pode começar a sentir alteração do hálito. Um dos exemplos é o odor matinal mais forte. Dietas restritivas e medicamentos também podem interferir no hálito, deixando-o com o odor de acetona. É comum estar associada a distúrbios respiratórios, como sinusite e amigdalite; metabólicos, relacionados a hormônios e diabetes; e digestivos, como úlcera duodenal. Até mesmo o mau funcionamento do fígado (com indicações para hepatite, cirrose, tumores benignos e malignos) favorece a permanência de substâncias voláteis na circulação, sendo facilmente eliminadas via pulmonar causando esse tipo de odor.

Existem diferentes tipos de halitose? Quais e quantos são?
Sim, por conta das inúmeras causas descritas acima. Há ainda a pseudohalitose que ocorre em pessoas que afirmam ter mau hálito, mesmo não sendo detectado odorivetores ao olfato humano; e a temporária, pelo consumo de alimentos (como, alho e cebola) ou pouca ingestão de água.

Como identificar cada tipo de mau hálito?
Por meio de uma anamnese, com as queixas e hábitos do paciente, e o uso de aparelhos modernos que auxiliam nessa detecção dos gases, o dentista chega a um diagnóstico. Pode orientar desde uma mudança na higiene bucal, com creme dental específico, com o uso do fio dental, escova e limpador de língua para evitar esse acúmulo de bactérias e restos alimentares; a ingestão ideal de água por dia de acordo com o peso; e uma alimentação equilibrada. Se houver necessidade, indica ainda o acompanhamento multidisciplinar com psicologia, otorrinolaringologia, gastroenterologia, entre outros profissionais especialistas no tema.

Qual o tratamento para cada mau hálito?
O tratamento é individual e personalizado com sua queixa. O dentista irá fazer um estudo do seu caso para informar o melhor tratamento. Podemos utilizar laserterapia, terapia fotodinâmica, mudança de hábitos, remoção de saburra lingual, caseos amigdalianos, placa bacteriana, cálculo/ tártaro. - O odor vindo da boca é diferente do oriundo do estômago? Por quê? O próprio organismo produz os odores diferentes. O odor vindo da boca é similar ao de enxofre. Do estômago, nos casos de arroto ocasional ou refluxo gastroesofágico, o odor é ácido.

Fonte: FF Este conteúdo é de propriedade intelectual do Terra e fica proibido o uso sem prévia autorização. Todos os direitos reservados.
publicidade