PUBLICIDADE

Queda de cabelo: Quais são as causas e o tratamento?

A calvície começa aparecer a partir dos 40 anos e geralmente afeta as entradas frontais e à parte alta atrás da cabeça

23 mai 2021 11h11
ver comentários
Publicidade
A queda dos fios é maior nos homens do que nas mulheres
A queda dos fios é maior nos homens do que nas mulheres
Foto: Shutterstock / Saúde em Dia

Você sabia que, em média, perdemos de 100 a 120 fios do cabelo por dia? Isso é um processo natural do organismo que faz parte do crescimento e envelhecimento. Existem algumas razões para isso, como genética, fatores emocionas e até mesmo o covid-19.

De acordo com a Dra. Luciana Maluf, dermatologista, o vírus provoca inflamação orgânica, o chamado "eflúvio telógeno", queda de cabelo após alguma agressão no organismo. "Esse tipo de problema não tem lugar específico, portanto esse cabelo pode crescer novamente", explica.

No caso da queda de cabelo devido ao vírus, não adianta tratar só a consequência, mas sim a causa da doença para recomendar a medicação adequada. "Esse distúrbio pode ser causado por alterações da tireoide, anemia ou deficiência importante de vitamina D", ressalta a Dra. Luciana Maluf.

Como o tratamento efetivo vai depender da sua origem, após o diagnóstico é possível que o paciente possa utilizar aceleradores de crescimento do bulbo, como a biotina e D-Pantenol, além de uma série de produtos que o médico pode recomendar.

Por quê os homens perdem mais cabelo do que as mulheres?

Segundo estudos a proporção de queda do cabelo é maior nos homens porque a causa da calvície tem a ver com testosterona, hormônio masculino que, quando convertido em derivado chamado DHT (dihidrotestestosterona) , age no bulbo capilar e promove o afinamento dos fios.

A calvície começa aparecer a partir dos 40 anos e geralmente afeta as entradas frontais e a parte alta atrás da cabeça. No couro cabeludo, duas enzimas são responsáveis por metabolizar o hormônio masculino, umas delas é a 5 alfa redutase, que atua principalmente na região occipital e nas entradas, nos homens e na coroa nas mulheres.

Como evitar? 

Fique atento aos sinais

É importante ficar atento quando houver queda em grande quantidade dos fios no redemoinho e nas entradas laterais. Além disso, é importante verificar se há histórico de calvície em parentes próximos. Quanto mais cedo der início à prevenção ou ao tratamento, menor será o impacto da doença.

Cuide da alimentação

A alimentação é tudo! Opte pelos alimentos saudáveis e naturais, como frutas, legumes e sementes. Eles são ricos em vitaminas e outros nutrientes essenciais para a nossa saúde. Haverá, assim, um impacto direto na saúde capilar.

O ideal é investir em uma alimentação saudável e diversificada para trazer grandes resultados à saúde do seu corpo. Se tiver dificuldades em inserir essa mudança, é recomendável procurar a ajuda de uma nutricionista.

Faça cirurgia preventiva

A cirurgia preventiva consiste em um implante capilar e é bastante eficaz. Ela pode ser utilizada quando apenas o couro foi afetado ou quando a doença ainda não impactou completamente os cabelos. Nesse procedimento são utilizados fios saudáveis e de áreas definitivas, ou seja, aquelas partes que geralmente não prejudicadas pela calvície.

Esses fios são implantados nas áreas de queda. Dessa forma, à medida que a doença aumenta e os fios originais somem, ainda devem permanecer os implantados. Isso impede com que a doença afete a sua aparência, além de garantir naturalidade dos fios.

Procure ajuda profissional logo no início

Ao identificar os primeiros sinais da calvície, procure um médico especialista, como um dermatologista, para avaliar seu caso, diagnosticar as causas e orientar o tratamento mais adequado a você. Só assim é possível prevenir a calvície e não deixar que esse problema afete sua saúde, sua vaidade e bem-estar.

Saúde em Dia
Publicidade
Publicidade