0

Efeitos agudos do consumo de café no sistema digestivo e na pressão arterial

5 nov 2018
13h11
  • separator
  • comentários

O café é uma bebida psicoativa muito consumida e a sua ação no eixo cérebro-intestinal tem resultados controversos. Esse eixo afeta uma série de processos fisiológicos que resultam na saciedade e no consumo calórico assim como no bem-estar e humor e, também estar associado com a função gastrointestinal e/ou distúrbios gastrointestinais (GI). Visualização do alimento, antecipação à refeição e estresse percebido iniciam mudanças profundas na função digestiva que são caracterizadas pela liberação de vários hormônios GI, incluindo a gastrina, que leva a secreção de ácido gástrico.

Em alguns estudos, a secreção de ácido gástrico aumentada mediada pelo café tem sido associada com distúrbios GI, como refluxo gastroesofágico, dor epigástrica, refluxo e azia. No entanto, resultados de estudos clínicos e epidemiológicos mostram que o consumo de café tem efeitos protetores na função GI sem associação com úlcera gástrica e duodenal, refluxo esofágico e não erosivo. Outras pesquisas, mas nem todas, sugerem que o café com cafeína pode ativar o eixo cerebral HPA, aumentando a secreção de hormônios do estresse como o cortisol, de maneira gênero dependente, assim como um aumento temporário da pressão arterial, mesmo em doses pequenas de cafeína e, na taxa metabólica basal.

Os principais resultados de um estudo recente mostra que em consumidores diários de café saudáveis, o consumo agudo de diferentes tipos de café contendo quantidades iguais de cafeína causou uma ativação significativa do sistema nervoso simpático de uma forma não estressora, sem aumentar os níveis de cortisol na saliva e, sem uma especificidade de gênero, implicando que o consumo de café pode ter algumas propriedades anti-estressoras; temporariamente aumentando as concentrações salivares de gastrina, sem diferenças entre os cafés, mas sem efeito reportado de sintomas GI e; aumentando significativamente a pressão arterial, dentro dos níveis saudáveis, sem diferenças entre os tipos de café.

Referência

PAPAKONSTANTINOU, E. et al, Acute effects of coffee consumption on self-reported gastrointestinal symptoms, blood pressure and stress indices in healthy individuals, Nutrition Journal, v.15, n.26, 2016.

Estadão Conteúdo

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade