0

Corridas curtas e caminhadas rápidas controlam diabetes

Pesquisadores descobriram que pacientes que alternavam três minutos de caminhada rápida e três minutos de lenta, por mais de uma hora, controlaram melhor os níveis de açúcar no sangue

6 ago 2014
08h50
atualizado às 08h50
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator
<p>Segundo estudo, atividade ajuda o corpo a ter maior controle do açúcar no sangue</p>
Segundo estudo, atividade ajuda o corpo a ter maior controle do açúcar no sangue
Foto: Getty Images

Corridas curtas ou caminhadas rápidas podem ser a chave para o controle da diabete, de acordo com um novo estudo. Com informações do site do jornal britânico Daily Mail. 

Siga Terra Estilo no Twitter

Pesquisadores descobriram que pacientes que alternavam três minutos de caminhada rápida e três minutos de lenta, por mais de uma hora, controlaram melhor os níveis de açúcar no sangue do que aqueles que fizeram caminhada em um ritmo constante.

Tradicionalmente, os diabéticos vêm sendo aconselhados a praticar caminhada moderada e evitar os exercícios de alta intensidade, que podem causar lesões.

Mas cientistas da Copenhagen University descobriram que treinamentos de caminhada intervalada trazem maiores benefícios e levam a um maior controle do açúcar no sangue, o que é especialmente importante nos casos de diabete do tipo 2.

O estudo dinamarquês envolveu pacientes entre 57 e 61 anos com diabete do tipo 2, que receberam uma variação de medicamentos com exceção de insulina. Oito deles foram aleatoriamente designados para um grupo de controle, 12 a um grupo de treinamento contínuo de caminhada e 12 a um treino de caminhadas intervaladas.

Os dois grupos que caminharam foram instruídos a treinar por uma hora, cinco vezes por semana, durante os quatro meses de estudo.

O treino intervalado consistia em uma caminhada rápida por três minutos e mais três lenta, com repetição deste sistema ao longo da sessão. O objetivo era alcançar um pico 70% de gasto de energia durante o período rápido e 40% no lento.

Os que caminharam em ritmo contínuo tinham o objetivo de atingir um pico de 55% de gasto de energia.  Foi comprovado um melhor controle do açúcar no sangue apenas no grupo que alternou o ritmo. Não houve alterações no grupo de caminhada contínua e nem no de controle.

A pesquisa foi publicada no jornal Diabetologia, da European Association for the Study of Diabetes. 

Veja também:

Beirute: A mãe em trabalho de parto durante a explosão
Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade