PUBLICIDADE

Beber para aliviar o estresse pode ser perigoso para a saúde

Publicidade

Uma pesquisa realizada pela Universidade de Chicago e divulgada pelo Jornal da Tarde na noite deste domingo (24) destacou que beber para aliviar o estresse pode ser mais perigoso do que imaginamos, pois o estresse altera as reações psíquicas e fisiológicas em relação ao álcool e pode fazer a pessoa beber além da conta. A relação seria bidirecional: o estresse estimula o consumo do álcool e o álcool expõe quem o consome a situações estressantes.

O estresse pode levar ao aumento do consumo de álcool
O estresse pode levar ao aumento do consumo de álcool
Foto: Getty Images

O estudo submeteu 25 homens saudáveis entre 18 e 32 anos a uma tarefa estressante e outra não. Após cada atividade eles recebiam doses de álcool por via intravenosa, equivalente a dois drinques. A reação variou entre os indivíduos, mas entre os que usavam o álcool como estimulante, o estresse fez com que a bebida agisse como um sedativo. Já entre os que não se sentiam estimulados pela substância, o estresse aumentou a vontade de beber. Em todos os casos, o álcool bloqueou o hormônio cortisol, relacionado ao estresse. "O álcool diminui a resposta hormonal ao estresse, mas também estende a experiência negativa do evento", contou Emma Childs, autora do estudo.

Diversos especialistas concordaram que usar a bebida como um escape dos problemas é o que torna o estresse perigoso quando relacionado ao álcool, pois aumenta o consumo da bebida e em indivíduos com propensão ao desenvolvimento do vício, gera outros problemas como ansiedade, depressão, além de males físicos como cirrose, entre outros.

Fonte: Terra
Publicidade