0

Brasil tem média móvel diária de 439 óbitos pela covid-19 

Nas últimas 24 horas 553 pessoas morreram vítimas da doença e 26.647 novos casos foram registrados de acordo com dados do consórcio de veículos de comunicação

29 out 2020
20h25
atualizado às 20h27
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O Brasil contabilizou nesta quinta-feira, 29 uma média móvel de 439 óbitos por dia devido a covid-19, número que compila dados dos últimos sete dias. Nas últimas 24 horas foram registrados mais 26.647 casos e 553 mortes, segundo levantamento feito por Estadão, G1, O Globo, Extra, Folha e UOL junto às secretarias estaduais de saúde.

Ao todo, o País tem 5.496.402 casos confirmados e 159.033 mortes desde o início da pandemia. Conforme balanço do Ministério da Saúde, 4.934.548 brasileiros estão recuperados da infecção e 375.266 seguem em acompanhamento.

Na quarta-feira, 29, a média diária de mortes por covid no Estado de SP ficou abaixo de 100 e foi a menor desde abril. Especialistas ouvidos pelo Estadão apontam a redução do contágio e a maior experiência dos médicos ao tratar a doença como motivos para a redução de óbitos.

O Brasil é o segundo país com mais mortos, atrás apenas dos Estados Unidos, que registrou 228.439 mortes. Os EUA se aproximam de mais de 9 milhões de infecções à medida que vírus saiu de controle em meio à preparação para o dia da eleição. No total de infectados, de acordo com a Universidade Johns Hopkins (EUA), o Brasil fica atrás dos Estados Unidos e da Índia.

Parceria

O balanço de óbitos e casos é resultado da parceria entre Estadão, G1, O Globo, Extra, Folha e UOL, e feito em conjunto com as secretarias estaduais de Saúde. Os seis meios de comunicação que passaram a trabalhar, desde o dia 8 de junho, de forma colaborativa para reunir as informações necessárias nos 26 estados e no Distrito Federal. De forma inédita, a iniciativa foi uma resposta à decisão do governo Bolsonaro de restringir o acesso a dados sobre a pandemia e se manteve mesmo após a manutenção dos registros governamentais

Veja também:

Influencers falam sobre doenças crônicas nas redes
Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade