PUBLICIDADE

Apendicite: entenda o que aconteceu com Felipe Franco

Astro do mundo fitness foi operado em caráter de urgência e, segundo pessoas próximas, passa bem

17 nov 2021 08h03
| atualizado em 19/11/2021 às 17h08
ver comentários
Publicidade
Felipe Franco sofreu com problemas relacionados à apendicite
Felipe Franco sofreu com problemas relacionados à apendicite
Foto: Reprodução Instagram @fefrancooficial / Saúde em Dia

O fisiculturista profissional, vereador da cidade de São Paulo e influenciador fitness, Felipe Franco, sofreu uma ruptura de apêndice na madrugada de segunda-feira (14) para terça-feira (15) e precisou ser operado em caráter de urgência. De acordo com o seu treinador Felipe Fonseca e o amigo próximo Moyzés Elmadjian, a cirurgia foi feita com sucesso e Franco se recupera bem.

Em seu perfil no Instagram, o atleta explicou que passou muito mal durante a noite, com dores no abdômen e vômitos. Franco também relatou que sofreu uma queda, bateu a cabeça e desmaiou. Ao ser encaminhado para o hospital, foi diagnosticado com uma ruptura no apêndice. No final da postagem, porém, o influenciador tranquilizou seus fãs e seguidores: "passando para avisar vocês que daqui a pouco estou novo em folha", disse.

O ocorrido, provavelmente, vai impossibilitar Felipe Franco de participar do Expo Super Show — campeonato de fisiculturismo — no final de novembro. Após ser desafiado publicamente por outros competidores, o atleta havia feito suspense sobre a sua presença no evento. Além disso, Franco também deverá se ausentar por alguns dias dos seus compromissos como vereador do município de São Paulo.

Entenda mais sobre apendicite

De acordo com o Ministério da Saúde, a apendicite se caracteriza por uma inflamação no apêndice - pequeno órgão localizado na região abdominal. Qualquer pessoa, independentemente do sexo ou idade, pode sofrer com esse problema que, caso não receba o tratamento adequado, pode gerar graves complicações e até mesmo a morte.

Segundo o Dr. José Luiz Capalbo, cirurgião do aparelho digestivo, casos mais agudos, que provocam a ruptura do apêndice - como ocorreu com Felipe Franco - podem gerar uma inflamação do peritônio. Fatores que provocam a rigidez do abdômen, dores intensas e dificuldade para se locomover.

"A cirurgia para esses casos é fundamental e, por isso, o paciente deve ser encaminhado o quanto antes ao pronto socorro para evitar uma infecção generalizada, ou sepse", conta o especialista, em artigo publicado pelo Hospital Nove de Julho.

Principais sintomas da apendicite

Conforme indicação do Ministério da Saúde, as principais causas da apendicite são:

  • Dor pontual, contínua e localizada do lado inferior direito do abdômen. Costuma ser fraca no início e se intensificar gradativamente;
  • Náuseas, vômitos e perda de apetite;
  • Dor na parte alta do estômago ou ao redor do umbigo;
  • Flatulência, indigestão, diarreia ou constipação;
  • Febre, que, geralmente, começa após 1 ou 2 dias;
  • Mal-estar geral, que pode ser confundido com um problema alimentar.

Após o diagnóstico de apendicite, o tratamento é exclusivamente cirúrgico, com a remoção do apêndice. Ela deve ser realizada o mais rápido possível, para evitar complicações e danos graves para a saúde do paciente. Por isso, é fundamental seguir as recomendações abaixo.

Recomendações importantes

1) Em caso de dor na parte baixa e do lado direito do abdômen, procure assistência médica imediatamente. Pode ser uma crise de apendicite aguda.

2) Não se recuse a ficar internado no hospital, enquanto o diagnóstico não for esclarecido. Você pode precisar de cirurgia de emergência.

3) Apenas um profissional de saúde, devidamente capacitado, pode diagnosticar e propor tratamentos para o problema. A automedicação é extremamente perigosa.

Fontes: Ministério da Saúde e Hospital Nove de Julho

Saúde em Dia
Publicidade
Publicidade