0

Cacete Company faz "pornografia sutil" em estreia no SPFW

26 out 2018
16h57
atualizado às 17h49
  • separator
  • comentários

A proposta da Cacete Company é subverter a ordem fashion e produzir peças que trazem um apelo sexy. Foi com essa proposta que a grife de Raphael Ribeiro e Tiago Carvalho estreou no SPFW, com sua sexta coleção, chamada de #ARQUIVO06. A dupla foi buscar inspiração na "cultura pornográfica subversiva de meados dos anos 90", como explicou no material de divulgação.

Foto: Francisco Cepeda/AgNews
Foto: Francisco Cepeda/AgNews
Foto: Elas no Tapete Vermelho
Foto: Francisco Cepeda/AgNews
Foto: Francisco Cepeda/AgNews
Foto: Elas no Tapete Vermelho

Apesar do tema controverso, de recortes em lugares inusitados, como que aparece na bunda de um dos looks, e vazados nos seios, que porém são cobertos com uma fita, suavizou a pornografia, mesmo com peças com cintas ligas penduradas e transparências. Isso, no entanto, não é ponto negativo. Pelo contrário.

Foto: Francisco Cepeda/AgNews
Foto: Francisco Cepeda/AgNews
Foto: Elas no Tapete Vermelho

O recado foi dado e o clima fetichista foi assimilado, deixando mamilos e calcinhas à mostra. Mas a grife trouxe peças em sintonia com o momento, como as jaquetas mais largas, logotipia aplicada, metalizado, sportswear, jeans manchados em tie dye,bermuda ciclista, macacões e espartilhos não explícitos.

Foto: Francisco Cepeda/AgNews
Foto: Francisco Cepeda/AgNews
Foto: Elas no Tapete Vermelho

Malhas, jeans, cetim, chiffon, tules e tricôs se misturam numa cartela básica, onde bege, cinza e preto se acendem com a presença de um verde não muito forte. A cor, aliás, abriu o desfile com um conjunto masculino. No fim, o brilho também para homens e mulheres apareceu em verde e preto.

Elas no Tapete Vermelho

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade