2 eventos ao vivo

Policial argentina amamenta bebê que chorava em hospital

Agente percebeu que criança estava com fome e pediu a médicos para amamentá-la; prática, porém, não é recomendada

17 ago 2018
19h06
atualizado às 19h56
  • separator
  • comentários

Uma foto de uma policial com uniforme de trabalho amamentando um bebê vem emocionando a internet. Isto porque representou um ato de solidariedade: o pequeno não era filho da agente argentina. Ela ofereceu o seio porque estava de plantão em um hospital e percebeu que aquela criança não parava de chorar. Após autorização dos médicos, amamentou e acalmou o bebê.

Foto: Reprodução

A foto que retratava Celeste Ayala amamentando foi postada no Facebook por um colega de corporação e já alcançou 100 mil compartilhamentos. Segundo o jornal argentino Clarín, a policial estava andando pelos corredores do hospital e se deparou com o barulho incessante do choro deste bebê. Ela disse aos médicos que sentia que o pequeno tinha fome, e por isso ofereceu amamentá-lo.

Amamentação cruzada

Celeste foi levada por seu instinto e conseguiu acalmar o bebê. No entanto, a prática de amamentar filhos que não são seus não é recomendada pelos pediatras.

A mesma polêmica foi levantada em abril, quando a novela "O Outro Lado do Paraíso", da Rede Globo, mostrou aos espectadores Nadia, interpretada pela atriz Viviane Giardini, levando o neto para ser amamentado por Suzy, vivida por Ellen Roche. No entanto, Suzy não é mãe da criança.

Na época, a neonatologista e integrante da diretoria da Sociedade de Pediatria do Rio Grande do Sul (SPRS), Celia Magalhães, explicou que antigamente, era comum a amamentação cruzada, com as amas de leite, mas a prática não é mais recomendada devido ao risco transmitir doenças, como o HIV, ao bebê. "Acredito que programas que têm grande audiência devem utilizar esta abrangência para estimular as coisas que realmente têm sentido", destaca.

Minha Vida

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade