PUBLICIDADE

Em vez de joias, Lula presenteia com queijos artesanais brasileiros

2 abr 2024 - 19h15
Compartilhar
Exibir comentários
Lula presenteia Emmanuel Macron com queijos premiados brasileiros e espumante
Lula presenteia Emmanuel Macron com queijos premiados brasileiros e espumante
Foto: Ricardo Stuckert/Reprodução

Para coroar a semaninha de amor intenso entre Brasil e  França, Lula presenteou Macron com uma caixa com seis queijos artesanais brasileiros. No romance dos dois chefes de Estado, que desfilaram juntos nos últimos dias, o francês recebeu o golpe final da sedução: queijos genuinamente tradicionais e autorais do nosso país.

Não, Macron não ganhou nenhum queijo "tipo" qualquer receita francesa, como temos aos montes nos supermercados, mas vai se deliciar com queijos da agricultura familiar brasileira, escolhidos pelas queijistas Sandra e Rosanna, de Brasília, que viabilizaram a entrega do kit.

Eu que sou franco brasileira me derreti como uma raclette. Os eleitos foram os seis produtores abaixo, cinco deles associados à SerTãoBras:

  • Guilherme da Produtos Goa, de Aiuruoca-MG,
  • Henrique, do Rancho Maranata, de Virgínia-MG,
  • o Airton, do laticínio Serra das Antas, da cidade de Bueno Brandão-MG;
  • Cecilia e Marcus, da Fazenda São Victor, Ilha de Marajó, no Pará,
  • e o Bento, da Pardinho Artesanal, cidade do mesmo nome, em São Paulo.

Uma das demandas antigas da França é que o Brasil, 5° maior produtor de leite do mundo, pare de usar nomes de queijos protegidos por denominações de origem da Europa, os famosos queijos "tipo comté" ou "tipo camembert".

Acho que Macron, que por essa não esperava, vai entender que nossa diversidade queijeira artesanal se orgulha de usar os nomes das nossas vilas, ilhas e montanhas. E que cumprir essa parte do acordo do Mercosul, de não usar mais nomes europeus nos queijos, vai ser fácil.

Os queijos europeus são maravilhosos, claro, uma inspiração. Muitos deles, dos mais simbólicos como o roquefort francês e o gruyère suíço, ja confirmaram presença no concurso do Mundial do Queijo do Brasil. O evento, que acontece de 11 a 14 de abril no Teatro B32, na avenida Faria Lima, em São Paulo, vai colocar lado a lado os melhores de cada país. Menos para acirrar a concorrência, mais para celebrar a diversidade.

É um encontro imperdível, entre degustações, shows e conferências, para consumidores conhecerem de perto seus produtores, esses heróis rurais que lutam a batalha cotidiana da valorização do leite.

Estadão
Compartilhar
Publicidade
Publicidade