PUBLICIDADE

Saiba mais sobre os chefs brasileiros preferidos de Alex Atala

Roberta Sudbrack e Helena Rizzo, que ficaram entre os 100 melhores restaurantes do mundo, estão na lista

30 abr 2013 - 17h11
(atualizado às 17h13)
Compartilhar
Exibir comentários

Receber a "benção" de um chef estrelado, para quem está buscando um lugar ao sol no disputado setor da gastronomia, é uma ótima forma de passar a ser notado com outros olhos. No Brasil, Alex Atala vem mantendo a fama de "chef mais conhecido do País" há alguns anos e, com isso, suas palavras também passaram a ter peso e repercussão grandiosos.

Assumidamete fã e verdadeiro porta-voz da culinária regional, que prioriza os ingredientes tipicamente brasileiros, não há surpresa em saber que os chefs que ele admira também têm essa mesma essência no seu "modo de fazer". Eles seguem estilos diferentes, uns mais inventivos, outros mais apegados às raízes. No entanto, todos carregam um traço em comum - a aprovação de Atala. Conheça-os:

Rodrigo Oliveira, Mocotó

O pai do chef Rodrigo Oliveira, o pernambucano José Oliveira de Almeida, queria que o filho fosse engenheiro. Ao tentar a vida em São Paulo com a Casa do Norte Imãos Almeida, em 1973, ele não esperava que o seu caldo de mocotó faria tanto sucesso – e mudaria, assim, a trajetória profissional do próprio filho.

Embora tenha tentado fazer a vontade do pai, frequentando as aulas de Engenharia, Rodrigo aproveitou uma viagem do pai à terra natal para começar a mexer no armazém, onde lavou muitos pratos até transformá-lo no que hoje é um dos restaurantes mais reconhecidos por oferecer comida brasileira de qualidade.

Ele resolveu apostar na Gastronomia, fez diversos cursos e começou a ganhar notoriedade, que veio em forma de prêmios como chef do ano, restaurante com melhor cozinha brasileira, os 100 brasileiros mais influentes, Guia Quatro Rodas, Melhores do Ano Prazeres da Mesa e chef revelação. Além disso, tem a “benção” de Alex Atala.

Atala cita chefs brasileiros para próxima lista dos melhores:
Helena Rizzo, Maní

O restaurante Maní, da chef Helena Rizzo, alcançou o 46º lugar na lista dos 50 melhores restaurantes do mundo de 2013. A chef, que já foi modelo, tem em seu currículo nomes como Gero Fasano, Roanne, La Torre e Sadler, que tem duas estrelas no guia Michelin, na Itália. Trabalhou também El Celler de Can Rocca, espanhol eleito o melhor do mundo em 2013, por três anos.

Helena também tocou na capital paulista o restaurante Na Mata Café e, desde 2004, está à frente do Maní, onde conquistou diversos prêmios. Entre eles, foi a primeira mulher a ser eleita chef do ano pela revista Veja São Paulo, em 2010.

Roberta Sudbrack

Depois de ter conquistado a 71ª posição dos melhores restaurantes do mundo em 2012, Roberta Sudbrack passou a ser um nome cogitado para a eleição deste ano, quando ficou com o 80º lugar.

Durante os Jogos Olímpicos de Londres, ela ficou responsável por alimentar os atletas da delegação brasileira, servindo um cardápio caseiro e focado em especialidades brasileiras, uma de suas marcas.  

Também é reconhecida por ter sido a primeira chef mulher a comandar a cozinha do Presidente da República, no mandato de Fernando Henrique Cardoso. Entre a lista de personalidades reais que já provaram de seu tempero estão Tony Blair, Bill Clinton, o rei da Espanha, Juan Carlos,  Fidel Castro e o príncipe Charles, que, na ocasião, provou uma versão repaginada do clássico “fish and chips”, preparado com batata doce.   

Felipe e Thiago Castanho, Remanso do Bosque

Os irmãos Thiago e Felipe Castanho, também conhecidos como “irmãos Castanho”, começaram ajudando o pai no pequeno restaurante da família, em Belém do Pará. O restaurante Remanso do Peixe cresceu e eles passaram a ajudar na cozinha, fazendo pratos tradicionais da região.

A dupla abriu mais uma casa, o Remanso do Bosque, e mistura elementos da cozinha amazônica com técnicas modernas, com destaque para os ingredientes e micro-produtores locais. Entre os prêmios conquistados pelos irmãos estão os de Homens do Ano em 2012 pela revista Alfa, 100 brasileiros mais influentes em 2012 pela revista Época, melhor restaurante de pescados pela revista Veja - Comer & Beber/ Belém (de 2005 a 2009) e uma estrela pelo Guia Quatro Rodas em 2011 para o Remanso do Peixe. Thiago também conquistou o título de chef revelação pela revista Prazeres da Mesa e pelo Guia 4 Rodas.

Alberto Landgraf, Épice

O primeiro restaurante de Alberto Landgraf, o Épice, na capital paulista, foi aberto em 2011. No mesmo ano, o chef, nascido em Cornélio Procópio e criado em Maringá, no Paraná, já levou o prêmio de chef revelação pela revista Veja São Paulo.

Antes disso, Alberto vivenciou longo período de estudos e de trabalho ao lado de nomes importantes dentro do cenário gastronômico mundial, como Gordon Ramsay e Tom Aikens, em Londres e Pierre Gagnaire, em Paris.

No Brasil, gerenciou cozinhas de casas como Astor, Pirajá e Original. Com seu cardápio, conquistou outras premiações importantes, como o Prêmio Paladar, melhor restaurante pelo Guia Quatro Rodas e pela revista Época São Paulo e chef do ano pela revista Go Where Gastronomia

<a data-cke-saved-href="http://culinaria.terra.com.br/infograficos/50-melhores-restaurantes-mundo/iframe.htm" href="http://culinaria.terra.com.br/infograficos/50-melhores-restaurantes-mundo/iframe.htm">veja o infográfico</a>
Fonte: Terra
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade