0

Com tons fortes, decoração indiana dá cor aos ambientes

Ambientes com inspiração na Índia primam pelo colorido e por móveis baixos, que dão ideia de maior amplitude

  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Cores fortes, elementos aromáticos, móveis e acessórios com desenhos e grafismos. Num primeiro a decoração indiana pode parecer um daqueles casos de “ame ou odeie”. Mas a arquiteta Maristela Gorayeb explica que o estilo pode ser adaptado, mesclando-o a outros itens, de acordo com o gosto do morador.

Maristela afirma que, em geral, a decoração indiana tradicional preza muito por móveis baixos, bem próximos ao chão, “o que dá a sensação de os cômodos serem maiores”. “A ideia é não ter muitos móveis e mantê-los próximos ao chão – são muito usados futons e almofadões.” Se não quiser colocar o futon direto no chão, pode usar um tablado de madeira com 15 cm de altura.

Um móvel muito usado é aquele sem braços e sem cabeceira – típico não apenas na Índia (daí o nome com que é conhecido no Brasil: cama turca). É perfeito para o quarto, porque ocupa menos espaço físico e visual. Segundo a arquiteta, almofadas de vários formatos são usadas como apoio – não só as quadradas, também as cilíndricas, chamadas de rolos.

Os pontos de luz, geralmente indireta, como abajures e pedestais, também ficam em patamar mais baixo. Os cômodos costumam ser salpicados de elementos aromáticos, como lamparinas, incensos e velas. “Normalmente eles usam recipientes de metal com flores e velas boiando na água. Para evitar mosquitos, basta trocar a água todos os dias, como seria feito em um vaso”, explica Maristela.

O estilo indiano inclui móveis recortados, com grafismos e muitos, muitos tapetes. “Podem ser de estampas e estilos variados – vale até fazer uma sobreposição de peças.”

Quem não é entusiasta do rosa-choque, azul-turquesa, vermelho e dourado pode adaptar a estética de acordo com o seu gosto. “É inspirado no estilo do país que você faz uma releitura. Afinal de contas, você tem que gostar da cor, já que vai vê-la todos os dias. Não é porque lá é tudo colorido que você não pode usar tons de branco com areia”, diz Maristela.

O tom da decoração depende muito do ambiente – sala, spa ou quarto – e de seu tamanho. Por exemplo, a decoração tem bastante madeira, mas o tom do mais claro dá ideia de amplitude.

A arquiteta só não recomenda misturar móveis baixos com os convencionais. “O ideal é fazer tudo da mesma altura ou fazer a sala na altura comum e separar um cantinho para os móveis baixos. Assim, na hora da conversa, todo mundo fica no mesmo nível.”

Veja também:

Venezuela: os trabalhadores da saúde com salários de US$ 4 por mês e sem equipamentos de proteção
Fonte: PrimaPagina
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade