0

Casa premiada privilegia área de lazer em terreno gigante

28 nov 2013
07h00
atualizado em 29/11/2013 às 11h53
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Na quente Goiânia, um enorme terreno de 6 mil m² de natureza abundante e o hábito da cliente de receber amigos e familiares não deixaram muitas dúvidas: a área de lazer deveria ser a estrela da casa. E assim fez a arquiteta Consuelo Jorge, de São Paulo. Na residência em que predominam linhas retas — uma sugestão do proprietário, que tinha um livro com as obras do norte-americano Frank Lloyd Wright, precursor do modernismo arquitetônico —, colocou uma varanda generosa e instalou uma piscina digna de hotel.

“A casa é mais voltada para a área externa”, comenta Consuelo. E não só no sábado ou no domingo, quando as visitas aportam no local: “Durante a semana, as crianças almoçam do lado de fora.” Não por acaso, próximo da varanda foi construída uma edícula com churrasqueira, um forno da famosa marca norte-americana Viking e um home theater. Tudo de frente para a piscina.

Esta, aliás, a pedido da proprietária, foi dividida em duas: uma raia para uso esportivo, o restante para uso recreativo. “Goiânia é muito quente, lá as pessoas praticamente passam o fim de semana na piscina”, diz a arquiteta. Há ainda um ofurô, que fica coberto quando não está sendo usado.

O projeto paisagístico, de Alex Hanazaki, parceiro habitual da arquiteta, fez jus a essas características da casa. “As plantas foram escolhidas antes mesmo de se fazerem as fundações da construção”, diz Consuelo. Hanazaki deixou bastante espaço para gramados, salpicou palmeiras diversas (inclusive em uma espécie de península que marca a divisão entre a parte recreativa e a parte esportiva da piscina), elaborou um pomar e uma horta. O paisagismo foi tão importante que a arquiteta afirma que o projeto foi feito a quatro mãos com Hanazaki.

O capricho da parte externa também está presente no interior da casa, que tem 933 m² de construção. Na sala de jantar com pé-direito duplo, destaca-se a grande mesa de jantar da Dpot. Uma das paredes tem um mosaico feito com mármore cor de creme. A escada, feita de aço inox e mármore, é uma atração à parte. “Ela é uma escultura que flutua”, descreve Consuelo. O design apurado também se apresenta em alguns detalhes, como uma bela cadeira desenhada por Carlos Motta e uma obra do escultor Luiz Hermano, feita com radiadores de carros especialmente para a casa.

O projeto também traz recursos com viés ambiental. Há um sistema de reuso de água para os sanitários e para a irrigação, além da captação de chuva. A iluminação de LED predomina, e houve uma grande atenção à circulação de ar e à incidência do sol nos ambientes, para garantir o conforto térmico.

Com tantos detalhes, o projeto ganhou, em 2012, o prêmio internacional Americas Property Awards na categoria arquitetura internacional. Este, porém, não foi o maior ganho da arquiteta. “A cliente era uma conhecida, mas viramos grandes amigas”, conclui Consuelo.

Veja também:

Passo a passo para manter a saúde bucal em dia
Fonte: PrimaPagina Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade