PUBLICIDADE

Temporal no Sul: região está sob alerta de tempestades até sábado, aponta Inmet

Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) alertou para chuvas superiores a 100 milímetros por dia, queda de granizo e ventos de 100 km/h

3 mai 2024 - 17h52
(atualizado às 18h41)
Compartilhar
Exibir comentários
Porto Alegre registrou alagamentos intensos nesta sexta-feira, 3
Porto Alegre registrou alagamentos intensos nesta sexta-feira, 3
Foto: MIGUEL NORONHA/ENQUADRAR/ESTADÃO CONTEÚDO

A região Sul do Brasil está sob alerta de chuvas intensas, riscos de grandes deslizamentos e inundações, queda de granizo e ventos de aproximadamente 100 km/h até sábado, 4, apontou o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). Entre o Rio Grande do Sul e o Paraná, a previsão é de que as chuvas cheguem a um acumulado de 100 milímetros por dia durante o período. 

O Inmet emitiu dois alertas, válidos até as 12h de sábado, para a região entre o norte gaúcho e o sul paranaense: um vermelho, apontando para 'grande perigo' sobre o acumulado de chuva, e outro laranja, que significa 'perigo' de tempestade nos Estados. 

Inmet alerta para grande acumulado de chuvas na região Sul até sábado, 4
Inmet alerta para grande acumulado de chuvas na região Sul até sábado, 4
Foto: Reprodução/Inmet

De acordo com o instituto, a região pode receber grande volume acumulado de chuva, superior a 60 milimetros por hora ou 100 milímetros por dia, além do risco de grandes alagamentos, transbordamento de rios e deslizamentos de terra nas cidades das áreas de risco. 

Sobre o perigo de tempestades, o Inmet alerta para o risco de chuva intensa, ventos entre 60 e 100 km/h e queda de granizo. Há, também, risco de corte de energia elétrica, estragos em plantações e quedas de árvores. 

Veja as áreas sob alerta de grande perigo do Inmet:

  • Região Serrana;
  • Oeste Catarinense;
  • Vale do Itajaí;
  • Noroeste Rio-grandense;
  • Grande Florianópolis;
  • Nordeste Rio-grandense;
  • Sul Catarinense;
  • Metropolitana de Porto Alegre;
  • Sudoeste Paranaense.
Morador é levado por correnteza momentos antes de ser resgatado por helicóptero no RS:

Estragos no RS

Cerca de 265 cidades do Rio Grande do Sul já relataram danos diante das fortes chuvas que atingem o Estado, que sofre sua pior catástrofe climática, com 39 mortos e 68 desaparecidos. Os municípios seguem em alerta em razão de mais danos, assim como necessidade de orientação para que a população deixe áreas consideradas de risco.

Em Porto Alegre, a elevação do nível do Rio Guaíba causou alagamentos nas ruas do centro, além da rodoviária. A previsão dos meteorologistas é de que a inundação na capital gaúcha seja pior do que o recorde histórico de 1941.

O governo do Rio Grande do Sul reforçou alerta feito pela Defesa Civil, na quinta-feira, para a condição do Rio Caí, que está ultrapassando a cota de inundação e afeta municípios da região. A orientação é que moradores das regiões de Gramado e Canela, cidades conhecidas pelo turismo, saíam de áreas de risco.

"É orientação expressa que os moradores de áreas próximas ao rio nos municípios de São Francisco de Paula, Canela, Gramado, Nova Petrópolis, Vale Real e Feliz deixem áreas de risco e procurem abrigos públicos ou outro local de segurança para permanecer durante a elevação de nível do Rio Caí", disse o governo.

7 a cada 10 brasileiros já foram impactados por evento extremo associado à mudança climática 7 a cada 10 brasileiros já foram impactados por evento extremo associado à mudança climática

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade