PUBLICIDADE

Gari supera alcoolismo criando fábrica de vassouras de garrafa PET e ganha fãs

Giorggio Abrantes aprendeu a reciclar garrafas PET em clínica de reabilitação e hoje acumula 1 milhão de seguidores nas redes sociais

14 nov 2023 - 04h00
Compartilhar
Exibir comentários
Gari supera alcoolismo criando fábrica de vassouras de garrafa PET e ganha fãs:

O gari de Giorggio Abrantes, 40, é de Aparecida (PB) e enfrentava problemas com alcoolismo: “Minha esposa já estava cansada de passar tantos perrengues e, em um determinado momento, a gente chegou a se separar. Ela falou que não aguentava mais aquela situação e eu também quase perdi meu emprego na prefeitura, já que sou gari efetivo aqui”.

Então, Abrantes pediu a ajuda para que familiares o internassem em uma clínica de reabilitação. Foi lá que aprendeu a fabricar vassouras a partir do reaproveitamento de garrafas PET descartadas. 

“Quando terminou o tratamento, a gente voltou com o casamento e, com o passar dos dias, eu comecei a fazer as vassouras como forma de sobrevivência, para adquirir um pouco mais de dinheiro”, explica o gari que, algum tempo depois, começou postar conteúdo a respeito de seu trabalho nas redes sociais e a receber apoio de seus seguidores.

Ele conta que as pessoas comentavam em seus vídeos dizendo também querer fazer o mesmo trabalho de reciclagem. Foi nesse momento que ele buscou serralherias de sua cidade para a fabricação de máquinas, mas encontrou resistência. “Passei por várias humilhações com serralheiros que não acreditavam, que achavam não ia dar certo, que era perda de tempo”, relembra.

Giorggio Abrantes cria vassouras e outros objetos reciclando garrafas PET
Giorggio Abrantes cria vassouras e outros objetos reciclando garrafas PET
Foto: Arquivo pessoal / Redação Planeta

“Uma página da internet, a Razões para Acreditar, junto ao Voa, criou uma vaquinha. Eles contaram minha história, acharam super interessante a superação do alcoolismo e a vontade de voltar para casa, de não desistir da família. E, com o valor arrecadado de 17 mil reais, eu comecei a montar uma oficina nos fundos da casa que eu morava de aluguel”, explica Abrantes, que fez uma cobertura com lona no muro e comprou máquina de solda, lixadeira e parafusadeira. Dessa forma, ele mesmo passou a fabricar as ferramentas para a fabricação das vassouras.

Desde então, o gari passou a produzir não apenas vassouras, mas também bolsas, chapéus, brinquedos e começou a vender as máquinas para que mais pessoas possam se beneficiar financeiramente dessa prática ao mesmo tempo que geram impacto positivo para o meio ambiente. 

O projeto tem sido um sucesso. Somando todas as suas redes sociais, Abrantes tem mais de um milhão de seguidores. Ele também se tornou palestrante e é finalista da premiação Expo Favelas. Com o valor do prêmio, ele pretende terminar a construção de sua oficina e adquirir máquinas para conseguir aproveitar outras partes da garrafa PET, como as tampinhas.

“Eu dei o primeiro passo, mudei de vida, e o projeto de reciclagem mudou a minha vida. Hoje eu possuo coisas que eu não pensaria que teria com aquela vida que eu tinha antes. Ele me deu a autonomia financeira, ele me encheu de esperanças que a gente pode ajudar o meio ambiente com as ferramentas que a gente tem”, comenta.

Fonte: Redação Planeta
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade