PUBLICIDADE

Com novo motor, Vettel larga do fundo do grid no GP dos EUA

Piloto da Aston Martin vai precisar cumprir punição por troca de motor e perderá posições de largada no GP dos EUA de Fórmula 1

21 out 2021 22h18
ver comentários
Publicidade
Vettel no cockpit de seu Aston Martin AMR21
Vettel no cockpit de seu Aston Martin AMR21
Foto: Aston Martin / Twitter

A fase não é boa para Sebastian Vettel. Nas últimas nove etapas, ele esteve na zona da pontuação em apenas uma: o 5º lugar conquistado na não-corrida de Spa, na Bélgica. É bem verdade que nesse período o alemão chegou a terminar o GP da Hungria em 2º, mas ele acabou desclassificado após a corrida por não ter mais gasolina no tanque para amostra. E o Grande Prêmio dos Estados Unidos, próxima etapa do campeonato, não parece ser dos mais promissores para Vettel. 

Em entrevista concedida já no Circuito das Américas, ele revelou que será necessário trocar o motor de seu Aston Martin: “Acho que estamos começando um, digamos, fim de semana difícil”, disse o piloto, segundo o site da F1. “Vamos mudar o motor e, por isso, teremos uma penalização.”  

Ainda não se sabe se a troca será apenas do motor à combustão, o que acarretaria uma penalidade de 10 posições no grid, ou se mais partes da Unidade de Potência serão repostas, o que o jogaria ainda mais para trás. Seja qual for o caso, a posição média de Vettel nas classificações da temporada é o 11º lugar, o que já o colocaria no 20º e último posto do grid mesmo que seja trocado apenas o motor V6. 

Mesmo com as dificuldades postas antes mesmo de os carros irem à pista, Vettel se mantém positivo: “Vamos ver o que podemos fazer de onde largarmos. De qualquer forma, olhando em frente, acho que podemos ser fortes aqui. Quão forte, vamos ver.” 

Umas das esperanças de Vettel para uma boa corrida de recuperação é o próprio traçado do Circuito das Américas, declaradamente um dos favoritos do alemão. Nessa pista, ele já conquistou 2 poles e 1 vitória, todos ainda no período de Red Bull. “Essa pista definitivamente é legal de pilotar”, contou. “É uma boa mistura, partes lentas, partes rápidas, você se diverte, fica feliz depois de uma volta porque vai começar outra.” 

Para quem vai largar nas últimas posições do grid e pleiteia buscar pontos, é fundamental que haja possibilidade de ultrapassar. E Vettel entende que, nessa pista, é bem possível: “Sim, dá para ultrapassar, por isso acho que é um bom lugar para a troca de motor, e esperamos ter uma tarde de domingo de entretenimento”.  

Ainda sobre o circuito texano, um ponto que tem sido levantado nos últimos dias é a preocupação com as condições do asfalto. O piso foi alvo de bastante crítica por parte pilotos da MotoGP, que correu por lá no começo de outubro. Na véspera do início das atividades do GP, a pista ainda passa por pequenas obras de reparo para remover algumas ondulações. 

O problema é recorrente na pista. Em 2019, a pista também passou por reparos de emergência. A suspensão da Ferrari do próprio Vettel quebrou ainda na primeira parte da prova, segundo a equipe, graças às más condições do asfalto. Mesmo assim, para ele, tais ondulações não devem ser um problema para os carros como foram para as motos. 

“Vamos ver quando formos para a pista. Acho que algumas semanas atrás, quando a MotoGP esteve aqui, estava bem ruim. Mas, para nós, não é tão ruim quanto para eles. Vamos ver”, afirmou Vettel, que ainda disse que ondulações dão certa “personalidade” à pista: “Geralmente, eu sou um fã dessas ondulações.” 

O GP dos Estados Unidos tem suas atividades de pista programadas para início nessa sexta-feira, 22. A corrida será no domingo às 16 horas, horário de Brasília. 

Parabólica
Publicidade
Publicidade