PUBLICIDADE

Carta ao menino homem Lando Norris

As lágrimas de Lando Norris chamam a atenção. E não podem ser ignoradas. Umas linhas para ele

26 set 2021 12h22
| atualizado às 12h34
ver comentários
Publicidade
Não há luta sem dor, Lando...
Não há luta sem dor, Lando...
Foto: @McLarenBrasilF1 / Twitter

Caro Lando,

É uma senhora audácia achar que você vai ler estas linhas. Mas como cara de pau é especialidade da casa, vai assim mesmo.

Não dirijo um F1. Sou somente um fã que acompanha este monte de carrinhos dando voltas desde meus 6 anos. Mas posso te chamar de menino. Aqui são as palavras que escreveria para um amigo. Estamos longe disso, só que, por termos esta paixão pelo automobilismo, acabamos desenvolvendo uma empatia. E queremos dar opinião em tudo. 

Suas lágrimas na entrevista após o GP da Rússia foram comoventes. Nos acostumamos a ver os pilotos de F1 como heróis, impassíveis, resistentes a dor e emoções. Acima do bem e do mal. Mas nestes momentos, lembramos que são humanos. Existe sangue, alma e coração debaixo de um capacete, envolvidos por camadas e camadas de tecido antichamas.

Você já fez muito. Mas a gente acaba esquecendo que tem somente 21 anos! (Fará 22 em 13 de novembro) Poucos com esta idade chegaram a este ponto! Neste ponto, eu já me preocupava com boletos, mas pilotar um carro de F1 com toda a sua complexidade estava longe da imaginação.

Muita gente diz que a equipe não deixa o piloto interferir no andamento das decisões. Nos últimos tempos, temos acesso a algumas trocas, mas não a completa. Hoje, você fez uma aposta de ficar na pista, mesmo com o time dizendo que a chuva pioraria. A aposta pagou seu preço, ainda mais diante da piora rápida das condições.

Este equívoco pagou seu preço. A velha máxima de “quanto maior o risco, maior o retorno” fez valer. Se desse certo, estas lágrimas de tristeza seriam de alegria. Comemoraríamos a vitória de um inglês, porém o início de uma potencial sequência na categoria.

Chore sim, Lando. Não é feio chorar. Mostra a sua grandeza. Fique triste hoje sim, curta a raiva, lamba as feridas. Mas você fez um ótimo final de semana, soube aproveitar as oportunidades e poderia vencer sim sem nenhum demérito. Geriu muito bem os pneus, construiu bem a diferença para parar e voltar na frente. E mesmo com Hamilton em seus calcanhares, tinha sim uma boa possibilidade de vencer.

Faz parte do aprendizado. Se formos ver, você tem, no mínimo, mais 10 temporadas pela frente. Muitos erros irão para sua conta. Outras apostas serão feitas e terão seu prêmio. A sua corrida ainda não chegou na metade. Nenhum campeão foi construído somente com ventos a favor. Veja o próprio caso de Hamilton, que chegou hoje ao que parecia inimaginável: 100 vitórias.

Espero que, lá na frente, tenhamos na história de Lando Norris na F1 o GP da Rússia de 2021 como um ponto de maturação do campeão. E quero ter a oportunidade de seguir vendo esta construção de um caminho bonito. O público quer ver o sorriso fácil e sincero da sua juventude.

A Turquia se aproxima. Para cima deles, Lando!

Parabólica
Publicidade
Publicidade