0

Teste: Hyundai HB20 Diamond Plus surpreende em segurança

Versão mais cara do hatch inova ao oferecer alerta de colisão frontal com frenagem autônoma e aviso sonoro de mudança de faixa

24 set 2019
16h25
  • separator
  • 0
  • comentários

A segunda geração do Hyundai HB20, apesar de manter a mesma plataforma, chegou com várias modificações na estrutura e na lista de equipamentos. O visual é totalmente novo e chama a atenção pela nova identidade de design da marca, denominada “Esportividade Sensual’’. A nova grade é bem imponente e os faróis com projetor e guias de LED são inspirados na nova geração do sedã premium Hyundai Sonata. Apesar de polêmico, o design mostra-se bem resolvido. Os vincos são equilibrados e o teto tenta transmitir a ideia de flutuante. Por dentro, o visual tem linhas limpas e horizontais, em harmonia com a nova central multimídia blueMedia de 8’’.

O novo Hyundai HB20 melhorou o conforto e a dinâmica, mas o visual provocou polêmica.
O novo Hyundai HB20 melhorou o conforto e a dinâmica, mas o visual provocou polêmica.
Foto: Ericlis Magon / Guia do Carro

Já avaliamos a versão mais completa do novo Hyundai HB20, a Diamond Plus, que custa R$ 77.990 e utiliza o novo motor 1.0 TGDI (turbo com injeção direta de combustível), capaz de desenvolver até 120 cv de potência (6.000 rpm) e 172 Nm de torque. A vantagem deste propulsor é que a faixa de torque máximo é atingida em baixas 1500 rpm. Como resultado, o novo HB20 ficou bastante ágil para rodar na cidade e também na estrada. Durante o test drive no litoral da Bahia, a relação entre o motor 1.0 TGDI e o câmbio automático de seis velocidades proporcionou boas acelerações e retomadas de velocidade, permitindo realizar ultrapassagens com facilidade e segurança. Em situações mais extremas, as aletas atrás do volante (Paddle Shifts) ajudam no desempenho e na adaptação ao estilo de condução do motorista. Segundo a Hyundai, a aceleração de 0-100 km/h pode ser alcançada em 10,7 segundos, com velocidade máxima limitada a 190 km/h. 

O Hyundai HB20 Diamond Plus Automático é um hatch compacto 4 estrelas, segundo os critérios do Guia do Carro.
O Hyundai HB20 Diamond Plus Automático é um hatch compacto 4 estrelas, segundo os critérios do Guia do Carro.
Foto: Guia do Carro

A bordo também surpreende o baixo o nível de ruído em velocidades de cruzeiro e a qualidade de resolução do painel de instrumentos Supervision Cluster Evolution, que é parcialmente digital (conta-giros analógico) e equipa as versões mais caras do novo HB20. O novo volante de três raios tem boa empunhadura e a direção com assistência elétrica (inédita no HB20 e no HB20S), é bastante leve em manobras e fica mais rígida em viagens rodoviárias, permitindo bom comportamento em curvas, que também está relacionado aos controles eletrônicos de tração e estabilidade (novidade na linha HB20). As suspensões estão mais equilibradas que a geração anterior, com ajustes mais precisos e macios, evitando batidas secas de fim de curso e elevando o conforto dentro da cabine. 

Conforme o Inmetro, o consumo do motor 1.0 TGDI com a função start-stop (somente nas versões Diamond e Diamond Plus) é de 12,2 km/l na cidade e 13,9 km/l na estrada, quando abastecido com gasolina, e de 8,6 km/l na cidade e 10,3 km/l na estrada, com etanol. Sem o recurso de start-stop, o consumo cidade/estrada fica em 11,8/14,2 km/l (g) e 8,2/10,2 km/l (e). 

A coluna C tem um aplique em preto para dar a ideia de teto flutuante.
A coluna C tem um aplique em preto para dar a ideia de teto flutuante.
Foto: Ericlis Magon / Guia do Carro

Além das melhorias mecânicas, o hatch também cresceu. Agora, o Hyundai HB20 ficou 20 milímetros maior no comprimento e 40 milímetros na largura. O espaço interno também foi privilegiado devido ao aumento de 3 centímetros na distância entre-eixos, que passou de 2,50 para 2,53 metros. No geral, com as novas adaptações da plataforma, o espaço para as pernas no banco traseiro, que era alvo de críticas da geração anterior, ficou 47 milímetros maior. Assim, o HB20 deixou de ser tão apertado na parte de trás, com bom vão livre para as pernas e para a cabeça. O espaço para porta-objetos, que já era muito bom, foi aprimorado com a adoção de apoio-braço corrediço no console central (versões mais caras), que permite acomodação de utensílios na parte inferior. Além disso, a gavetinha com porta deslizante foi mantida à frente da alavanca de câmbio, o que facilita a instalação do smartphone durante o carregamento e a conexão via Android Auto e Apple CarPlay.

A conectividade também melhorou, a central blueMedia de 8’’ tem visual flutuante e permite acionar a câmera de ré com o veículo em movimento (somente nas versões Launch Edition, Diamond e Diamond Plus). Além disso, agora há duas entradas USB no console central, sendo uma delas para carregamento rápido de smartphones. Porém, faltam entradas USB ou uma tomada 12V para melhorar o conforto dos passageiros do banco de trás. Um dos enfoques da Hyundai foi investir em segurança na segunda geração do Hyundai HB20. Agora, além dos inéditos controles de tração e estabilidade, a versão Diamond Plus possui os exclusivos alerta de mudança de faixa e assistente de colisão frontal com frenagem de emergência, que permite detectar pedestres e veículos à frente, evitando a colisão em velocidades até 50 km/h ou diminuindo o impacto acima deste limite. 

Alista de equipamentos da versão Diamond Plus ainda inclui piloto automático com limitador de velocidade e comandos no volante, monitoramento de pressão dos pneus, ar-condicionado digital, sistema start-stop, volante revestido de couro, além de acabamento interno na cor marrom desert com detalhes em black piano e azul.

O que é novo

  • Motor 1.0 turbo de três cilindros e injeção direta de combustível.
  • Todo o design e o acabamento interior.
  • Dimensões da carroceria: largura, comprimento e entre-eixos.
  • Painel de instrumentos parcialmente digital.
  • Central multimídia com tela de 8’’.
     

O que nós gostamos

  • Desempenho.
  • Central multimídia blueMedia de 8’’.
  • Espaço interno.
  • Conjunto de suspensões.
  • Faróis com guias de LED e projetor.
  • Assistente colisão frontal com frenagem autônoma.
  • Alerta de mudança de faixa.
  • Estabilidade.
  • Direção elétrica e conforto a bordo.

O que pode melhorar

  • Somente as versões mais caras têm quatro airbags.
  • Faltam entradas USB ou uma tomada 12V para os ocupantes do banco traseiro.
A dianteira foi a parte que mais mudou, com faróis e grade muito maiores.
A dianteira foi a parte que mais mudou, com faróis e grade muito maiores.
Foto: Ericlis Magon / Guia do Carro

Os números

  • Motor: 1.0 turbo flex
  • Potência máxima: 120 cv a 6.000 rpm (e/g)
  • Torque máximo: 172 Nm a 1.500 rpm (e)
  • Câmbio: 6 marchas AT
  • Comprimento: 3,940  m 
  • Largura: 1,720 m 
  • Altura:  1,470 m
  • Entre-eixos: 2,530 m
  • Peso: 1.091 kg
  • Pneus: 185/60 R15
  • Porta-malas: 300 litros
  • Tanque: 50 litros
  • 0-100 km/h: 10s7
  • Vel. máxima: 190 km/h
  • Consumo cidade: 12,2 km/l (g)
  • Consumo estrada: 13,9 km/l (g)
  • Emissão de CO2: 105 g/km
  • Modelo avaliado: 2020

 

O HB20 tem capacidade para 300 litros no porta-malas.
O HB20 tem capacidade para 300 litros no porta-malas.
Foto: Ericlis Magon / Guia do Carro
Guia do Carro
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade