PUBLICIDADE

Fiat Toro Volcano Flex retorna melhor, mas tem um pênalti

Análise: nova Fiat Toro Volcano 2022 ganhou muita potência no motor 1.3 turbo flex, mas não brilha em consumo

13 mai 2021 10h09
| atualizado em 24/5/2021 às 21h47
ver comentários
Publicidade
Fiat Toro Volcano T270 AT6 4x2.
Fiat Toro Volcano T270 AT6 4x2.
Foto: Sergio Quintanilha / Guia do Carro

A picape Fiat Toro Volcano deu um salto em tecnologia na linha 2022. Mesmo sem uma rival direta, a Toro Volcano Flex só durou dois anos no mercado: nas linhas 2019 e 2020, com motor 2.4 aspirado flex de 174/186 cv de potência (gasolina/etanol) e 244/230 Nm de torque (g/e). A Fiat nunca quis equipar a Toro Volcano (topo de linha) com o motor 1.8 aspirado de 139 cv e 189 Nm, pois considerava sua potência limitada.

Agora, com o novo motor 1.3 turbo, a Toro Volcano voltou a ter sua versão flex na linha 2022, após a ausência na linha 2021. Ao adotar o downsizing de motor, a Toro Flex passou a ter 180/185 cv (gasolina/etanol) e 270 Nm. Ou seja: ganhou 6 cv com gasolina, perdeu 1 cavalinho com etanol e deu um salto em torque. Então a nova Toro Volcano Flex ficou perfeita? Nem tanto.

Alguns problemas persistem. O primeiro deles é o pouco diâmetro de giro. Embora tenha sido atenuado, com uma melhora de 5%, a manobrabilidade continua sendo um problema em alguns estacionamentos. Mas a principal crítica que fazemos à nova Toro Volcano Flex foi a ênfase exagerada na potência e um certo desprezo à questão do consumo.

Fiat Toro Volcano T270 AT6 4x2.
Fiat Toro Volcano T270 AT6 4x2.
Foto: Sergio Quintanilha / Guia do Carro

Bem, sabemos que não se pode ter tudo num carro. Trata-se sempre de uma questão de escolha. Quanto mais potência tiver, maior será o consumo. Quanto mais equipamentos tiver, maior será seu peso e seu preço. A questão aqui é saber se a escolha da Stellantis foi a melhor que podia ser feita para a Toro Flex.

Ao desenvolver seu novo motor 1.3 turbo, a Fiat buscou e conseguiu a mesma potência do motor 2.4 aspirado. Para chegar lá, entretanto, sacrificou demais o consumo. O trabalho da engenharia foi impecável, tanto que saiu de 79 cavalos/litro de potência específica para ótimos 139 cv/l. 

Precisava tanto? Talvez não. Afinal, qual é a justificativa para adotar um motor muito mais moderno, com utilização de alumínio, sistema MultiAir, injeção direta e turbocompressor, se é para ter um consumo de combustível semelhante ao antigo, que tem quase o dobro de cilindrada? Além disso, em relação ao antigo motor 1.8 aspirado, o novo motor 1.3 turbo é mais econômico somente com gasolina na cidade (9,7 km/l contra 9,5). Nesse caso, a comparação vale para as versões Endurance e Freedom.

Fiat Toro Volcano T270 AT6 4x2.
Fiat Toro Volcano T270 AT6 4x2.
Foto: Sergio Quintanilha / Guia do Carro

Em relação ao antigo 2.4 turbo da Toro Volcano, o novo 1.3 turbo é mais eficiente no consumo urbano. A Toro Volcano 2022 faz 9,7 km/l com gasolina e 6,6 com etanol. A Toro Volcano 2019/2020 fazia 8,7 km/l com gasolina e 6,0 com etanol. Porém, no consumo rodoviário, ela continua gastando um tantinho a mais com gasolina: faz 10,7 km/l contra 10,8 do motor 2.4. Este foi o preço a pagar por extrair tanta potência do pequeno motor de 1332 cm3. Pelo menos houve um pequeno ganho com etanol: 7,9 contra 7,7 km/l. 

Foram ganhos pequenos em consumo, considerando a enorme diferença de cilindrada. Culpa da engenharia? Não. Certamente, alguém deu uma ordem: façam um motor com 186 cavalos com etanol. Talvez por uma questão de marketing, a Fiat não queria uma Volcano Flex menos potente do que a 2.4.

Mas, apesar dessas considerações, digamos, “filosóficas” sobre o dilema entre potência e consumo, a nova Fiat Toro Volcano Flex 2022 ficou ótima. Pela primeira vez, a linha Toro tem uma Volcano Flex com a mesma motorização das versões de entrada, Endurance e Freedom. As diferenças, portanto, estão somente nos equipamentos.

Fiat Toro Volcano T270 AT6 4x2.
Fiat Toro Volcano T270 AT6 4x2.
Foto: Stellantis

A picape agrada ao rodar. O motor 1.3 turbo entrega todo seu torque já a 1.750 rpm. Antes, a Volcano Flex precisava de 4.000 giros para entregar 30 Nm a menos de força. Portanto, houve um ganho acústico -- a nova Toro é mais silenciosa ao rodar. Mesmo na entrega da potência máxima, a Toro Volcano 1.3 é um pouco melhor do que a antiga 2.4: são 500 giros a menos, 5.750 contra 6.250 rpm.

A mudança de motor trouxe também uma mudança na transmissão. O câmbio automático passou de 9 para 6 marchas, sem prejuízo da dirigibilidade. Mesmo com três marchas a menos, gostamos das relações utilizadas pela Fiat. O câmbio não demonstra estar “castigando” o motor quando solicitado em diferentes situações. Dinamicamente, a picape manteve todas as suas boas características. Além disso, o novo interior é ainda mais caprichado do que antes. Gostamos especialmente do novo volante de direção, dos bancos e do painel de instrumentos.

O cluster de 7” é mais moderno e resolveu o problema da velocidade digital, que antes tinha a leitura um pouco mais difícil. O computador de bordo também é bom. Também é divertido usar a conectividade da nova Toro em algumas situações, como o acionamento do motor a distância. Já a utilização da nova central multimídia precisa de um certo tempo para se acostumar. Ela agora fica em posição vertical, o que definitivamente rejeitamos, mas, pelo menos, pode ter a tela tátil de 10” dividida em duas -- assim, a parte superior pode ficar com sua tela preferida, pois é personalizável.

Fiat Toro Volcano T270 AT6 4x2.
Fiat Toro Volcano T270 AT6 4x2.
Foto: Sergio Quintanilha / Guia do Carro

A nova Toro Volcano Flex tem o novo logotipo script da Fiat no centro da grade (antes, o emblema ficava em cima do capô). Ela não tem a mesma exuberância da grade das superversões Ranch e Ultra (ambas a diesel), mas é mais bonita do que antes. Para além disso, tanto por fora quanto a partir da visão do motorista, os novos vincos do capô deixaram a picape Toro muito mais imponente.

A Fiat Toro Volcano Flex 270T 4x2 custa R$ 144.990 na maioria dos estados e R$ 149.805 em São Paulo. Ela é cerca de R$ 33 mil mais em conta do que a Toro Volcano 2.0 diesel 4x4, que tem menos potência (170 cv), mas um torque bem superior (350 Nm). Especialmente para quem pretende utilizar a Toro Volcano mais na cidade do que na fazenda ou em rodovias de alta velocidade, a nova Toro Volcano Flex é uma ótima compra. 

Os números

  • Preço: R$ 144.990
  • Motor: 1.3 turbo flex
  • Potência: 185 cv a 5.750 rpm
  • Torque: 270 Nm a 1.750 rpm
  • Câmbio: 6 marchas AT
  • Comprimento: 4,945 m 
  • Largura: 1,845 m 
  • Altura: 1,739 m
  • Entre-eixos: 2,990 m
  • Vão livre: 259 mm
  • Peso: 1.707 kg
  • Pneus: 225/60 R18
  • Caçamba: 937 litros
  • Carga útil: 670 kg
  • Tanque: 55 litros
  • 0-100 km/h: 11s0
  • Velocidade máxima: 197 km/h
  • Consumo cidade: 9,7 km/l
  • Consumo estrada: 10,7 km/l
  • Emissão de CO2: n/d 
Ram 1500 Rebel chega e quebra todos os paradigmas:

 

Guia do Carro
Publicidade
Publicidade