0

Conheça o inédito SUV Renault Kiger, um “Kwid alongado”

Renault Kiger pode ser a solução da marca para voltar a crescer no Brasil. Porém, a vinda do modelo ainda é incerta

28 jan 2021
17h11
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator
Renault Kiger conta com visual inspirado no Kwid reestilizado. Os faróis do modelo são bipartidos e contam com assinatura de led na parte superior.
Renault Kiger conta com visual inspirado no Kwid reestilizado. Os faróis do modelo são bipartidos e contam com assinatura de led na parte superior.
Foto: Renault / Divulgação

Depois de aparecer em novembro como conceito, o Renault Kiger finalmente foi apresentado de forma oficial. A Renault revelou nesta quinta-feira (28) a versão de produção do mini-SUV, que compartilha plataforma com o Nissan Magnite. Ambos utilizam a versão alongada da CMF-A, adotada pelo subcompacto Kwid.

Ainda não confirmado para o Brasil, o Kiger poderia ser uma solução da marca francesa para reverter a queda nas vendas do ano passado. Quarta colocada em 2019 -- quando vendeu 239.227 unidades -- a Renault amargou uma perda de quase 45% das vendas em 2020, quando registrou 131.624 emplacamentos. Dentre as 10 marcas mais vendidas, ela foi a que mais perdeu em vendas, seguida pela parceira Nissan, com 36,5% a menos.

Além de parceiras, ambas as marcas têm um ponto em comum: a necessidade de atualizar os portfólios. No caso da Renault, o Kwid já passou por uma reestilização na Índia, enquanto aqui segue há quase quatro anos com o mesmo visual. Além disso, o Sandero e o Logan ganharam recentemente novas gerações na Europa, enquanto a Duster Oroch não tem previsão de receber uma nova geração baseada no novo Duster.

Já a Nissan, apesar de ter lançado recentemente o novo Versa -- importado do México, ainda produz o V-Drive (antigo Versa), e encerrou a produção do March em setembro de 2020, sem substituir o hatch. No entanto, a marca japonesa deve trazer para o lugar dele o mini-SUV Magnite. Outro modelo que deve chegar é a nova geração do Sentra, assim como a reestilização do Kicks, ambos ainda este ano.

Lanternas do Kiger são de LED e têm formato de bumerangue, com design que invade a tampa do porta-malas.
Lanternas do Kiger são de LED e têm formato de bumerangue, com design que invade a tampa do porta-malas.
Foto: Renault / Divulgação

Em relação ao conceito apresentado no ano passado, o design exterior não teve muitas mudanças. A dianteira do Kiger conta com faróis bipartidos, que contam com assinatura de led na parte superior. Eles são interligados à grade dianteira, que tem como destaque o emblema da Renault. Além disso, a parte inferior dos faróis conta com três projetores alocados acima das entradas de ar do para-choque. Esse conjunto forma um desenho inspirado no Kwid reestilizado, que é vendido na Índia.

Na lateral, o mini-SUV conta com opção de pintura bicolor, assim como no Captur, além de vincos nos para-lamas. Na traseira, as lanternas têm formato de bumerangue e invadem a tampa do porta-malas, que conta com vincos que acompanham o desenho das lanternas. Outro detalhe é a localização da placa, que fica no para-choque, logo acima de um aplique prateado que simula um extrator.

Por dentro, a Renault apostou em linhas retas. O interior do Kiger conta com linhas horizontais, com destaque para a central multimídia de 8’’ com aspecto flutuante. As saídas de ar são posicionadas abaixo da tela, assim como os comandos do ar-condicionado -- que era digital na versão apresentada. A versão topo de linha conta ainda com painel de instrumentos digital, com uma tela TFT de 7’’, enquanto o volante é o mesmo já utilizado no Sandero brasileiro.

Interior do Kiger conta com uma central multimídia de 8’’ com aspecto flutuante, assim como um painel de instrumentos digital, com uma tela TFT de 7”.
Interior do Kiger conta com uma central multimídia de 8’’ com aspecto flutuante, assim como um painel de instrumentos digital, com uma tela TFT de 7”.
Foto: Renault / Divulgação

Por fora, a intenção da Renault era fazer com que o carro parecesse maior do que realmente é. As dimensões do Kiger ficam entre o Kwid e o Sandero, sendo este último apenas maior em comprimento e entre-eixos. O Kiger conta com 3,991 metros de comprimento, 1,75 m de largura, 1,60 m de altura, e um entre-eixos de 2,50 m.

Outra vantagem do SUV em relação ao Sandero é o porta-malas de 405 litros, 85 a mais do que no hatch. Pesando 1.012 kg, o Kiger também conta com um tanque de combustível com capacidade para 40 litros e 205 mm de altura livre do solo, maior do que SUVs como o Chevrolet Tracker (157 mm) e Volkswagen T-Cross (188mm).

Quanto à motorização, a versão indiana terá duas opções. A primeira é uma versão aspirada de um motor 1.0 três cilindros, que oferece 72 cv e 96 Nm de torque, podendo ser equipada com um câmbio manual ou o automatizado Easy-R, ambos com 5 marchas. A outra opção é o 1.0 turbo, também de três cilindros, com 100 cv e 159 Nm de torque. Esse motor, por sua vez, pode ser equipado com o mesmo câmbio manual ou um câmbio CVT.

Apesar do lançamento no mercado indiano, o Kiger ainda não teve o visto aprovado para o Brasil. Por outro lado, o que pode facilitar a imigração do modelo para o nosso mercado é o fato do Nissan Magnite estar de malas prontas para chegar em 2022. O modelo, que utiliza a mesma plataforma e motorização, é praticamente uma versão japonesa do mini-SUV da Renault, que se chegar ao Brasil, deverá ter preços entre o Kwid Outsider (R$ 50.390) e o Stepway (R$ 73.890).

Veja também:

Novo Nissan Kicks 2022 dá um salto de qualidade
Guia do Carro
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade