PUBLICIDADE

Como o Citroën Traction Avant revolucionou a indústria

Lançado há 87 anos, o icônico Citroën Traction Avant foi o primeiro carro com tração dianteira e carroceria monobloco da história

29 jul 2021 17h40
ver comentários
Publicidade
Citroën Traction Avant 1939.
Citroën Traction Avant 1939.
Foto: Citroën / Stellantis

O primeiro carro com tração dianteira e carroceria monobloco da história já tem 87 anos de idade. Apresentado em abril de 1934 e lançado um mês depois, o Citroën Traction Avant revolucionou a indústria, que só fabricava carros com chassi e partes separadas, além de tração traseira. Considerado não só um dos modelos mais importantes da Citroën, como também um marco na indústria automotiva mundial, o Traction Avant popularizou esses dois conceitos que são utilizados em grande parte dos carros atuais.

Desenvolvido por André Lefèbvre e Maurice Sainturat em apenas 18 meses, o Citroën Traction Avant era oferecido inicialmente apenas na versão 7A. Equipada com um motor 1.3 de apenas 32 cv, a configuração é uma das mais raras do modelo, pois soma 7 mil unidades fabricadas até julho de 1934. Com desempenho abaixo do esperado, a versão foi substituída alguns meses depois pela 7B, que contava com um motor 1.5 de 38 cv.

Citroën Traction Avant Cabriolet 1938.
Citroën Traction Avant Cabriolet 1938.
Foto: Citroën / Stellantis

Em seguida, também foi lançado o Citroën Traction Avant 7 Sport. Equipada com um motor 1.9, a versão esportiva oferecia 48 cv de potência. Os números se referiam ao sistema europeu vigente de taxação de impostos, baseado na dimensão dos cilindros. Era possível escolher entre as carrocerias Berline (sedã), Faux Cabriolet (conversível) e Roadster (conversível de dois lugares). A suspensão era independente com barra de torção e o modelo contava com moderno sistema de direção para a época.

Poucos anos depois, em 1938 chegava ao mercado a versão 15-Six G. Equipado com um motor 2.8 seis cilindros de 77 cv, o Citroën Traction Avant chegou até mesmo a oferecer a partir de 1954 a revolucionária suspensão hidropneumática, que misturava gás e fluido hidráulico para oferecer mais conforto e estabilidade ao rodar. O câmbio era um manual de apenas três marchas.

Largo, o Traction Avant exigia perícia nas estreitas ruas europeias pré-guerra. O modelo foi o primeiro carro desenhado pelo então escultor Flaminio Bertoni -- também responsável pelo design dos Citroën 2CV e DS -- e contava com linhas curvas baseadas no conceito de forma e função. O destaque ficava para as maçanetas Art Deco, e o capô longitudinal, que permitia o fácil acesso ao motor, câmbio, radiador, e suspensão dianteira.

Conhecido pelo apelido “Queen of the Road” (Rainha da Estrada), o Traction Avant foi o último modelo da Citroën visto pelo fundador da marca francesa, André Citroën, que morreu em 1935. Em 23 anos de mercado, o Traction Avant teve 759.123 unidades produzidas até 1957, sendo mais de 620 mil delas da versão 11, destacada pelas configurações Familiale, de nove lugares, e Coupé, para cinco ocupantes.

Guia do Carro
Publicidade
Publicidade