0

Vídeo falso mostra Zuckerberg falando que controla dados roubados das pessoas

Criado por inteligência artificial, vídeo foi postado no Instagram por dois artistas; recentemente, Facebook se recusou a remover vídeos do tipo da plataforma

11 jun 2019
18h40
  • separator
  • comentários

Na última sexta, 7, surgiu um pequeno vídeo no Instagram aparentemente protagonizado por Mark Zuckerberg com uma declaração absurda do ponto de vista do executivo. "Imagine isso por um segundo: um homem com controle total dos dados roubados de bilhões de pessoas. Todos os seus segredos, suas vidas e seus futuros. (Aleksandr) Spectre me mostrou que quem controla os dados, controla o futuro".

Deep fake de Zuckerberg mostra ele falando que rouba e controla dados das pessoas
Deep fake de Zuckerberg mostra ele falando que rouba e controla dados das pessoas
Foto: Bruno Romani/Reprodução / Estadão

O vídeo, claro, é falso. Ele foi criado por dois artistas, Bill Posters e Daniel Howe, e uma agência de publicidade, a Canny, por meio de inteligência artificial - os algoritmos usam imagens reais de Zuckerberg e são combinadas com os movimentos do rosto de outra pessoa, técnica conhecida como deep fake. O vídeo original é de 2017 e trazia esclarecimentos de Zuckerberg sobre o papel do Facebook nas eleições russas.

Recentemente, o Facebook se recusou a remover um deep fake envolvendo Nancy Pelosi, líder do partido democrata na câmara de deputados. A rede social considerou que ele não violava as regras de uso da plataforma, embora tenha tomado medidas para que ele não circulasse tanto - os algoritmos tiraram a prioridade de circulação dele, mensagens alertavam para a veracidade do vídeo quando ele surgia no feed, e usuários que tentava compartilhá-lo recebiam uma notificação sobre o problema.

No auge da polêmica do vídeo de Pelosi, Neil Potts, diretor de política pública do Facebook, garantiu que nem mesmo um deep fake de Mark Zuckerberg seria removido da rede social.

A inteligência artifical da Canny foi treinada por um período entre 12 e 24 horas usando vídeos curtos, entre 20 e 45 segundos, verdadeiros de Zuckerberg. O algoritmo usado pela empresa foi criado pela Universidade de Washington. Omer Ben-Ami, fundador da Canny, disse ao site Motherboard disse que o vídeo é uma oportunidade para educar e mostrar o potencial da tecnologia. No perfil de Bill Poster no Instagram, há outros deep fakes, incluindo Donald Trump e Kim Kardashian.

Estadão
  • separator
  • comentários
publicidade