1 evento ao vivo

Qualcomm pode enfrentar investigação antitruste na Europa

Icera levou queixas à Comissão Europeia em junho de 2010, acusando a Qualcomm de comportamento anticompetitivo

26 ago 2014
11h38
atualizado às 12h05
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator
<p>Uma placa da Qualcomm em um dos vários prédios da empresa em seu campus em San Diego, Califórnia</p>
Uma placa da Qualcomm em um dos vários prédios da empresa em seu campus em San Diego, Califórnia
Foto: Mike Blake / Reuters

A Qualcomm, maior fabricante de chips de dispositivos móveis do mundo, pode enfrentar uma investigação antitruste na Europa em relação a uma reclamação de quatro anos atrás feita por uma subsidiária da rival Nvidia, disseram três pessoas familiarizadas com o assunto nesta terça-feira.

Um processo na União Europeia (UE) viria em momento desconfortável para a Qualcomm, que busca encerrar uma investigação do regulador chinês de preços sobre práticas de monopólio.

A fabricante britânica de chips para celular Icera, comprada pela Nvidia em 2011, levou queixas à Comissão Europeia em junho de 2010, acusando a Qualcomm de comportamento anticompetitivo.

Os detalhes da reclamação nunca foram tornados públicos. Uma pessoa familiarizada com o assunto, porém, disse que a Icera acusou a Qualcomm de usar incentivos relacionados a patentes e de adotar uma política de preços com caráter de exclusão em seus chipsets para desencorajar clientes a fazer negócios com rival.

Até o momento, o problema aparentemente não estava na agenda da Comissão.

Mas reguladores decidiram acelerar o processo, após o segundo tribunal mais alto da Europa manter, em junho, uma multa recorde da UE de 1,1 bilhão de euros contra a fabricante norte-americana de chips, a Intel, por abusar de sua posição dominante no mercado, segundo uma das fontes.

O porta-voz da Comissão para políticas de competição, Antoine Colombani, não quis comentar, e a Qualcomm fez o mesmo. Empresas podem ser multadas em até 10% de suas receitas globais por quebrar as regras antitruste da UE.

Veja também:

Veja como funciona a Bixby, assistente de voz da Samsung
Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade