PUBLICIDADE

Meme 'Chloe' em NFT é leiloado por US$ 74 mil

Garota americana viralizou em 2013 com olhar de desaprovação que ganhou o mundo

25 set 2021 19h17
ver comentários
Publicidade
Meme da menina Chloe viralizou em 2013, após a garota dar olhar de desaprovação à mãe
Meme da menina Chloe viralizou em 2013, após a garota dar olhar de desaprovação à mãe
Foto: Reprodução/Chloe Clem / Estadão

O meme da americana Chloe Clem, famoso em 2013 graças ao olhar de desaprovação da garota, em 2013, foi leiloado nesta sexta-feira, 24, por US$ 73,9 mil em forma de NFT, formato de arquivo único que dá ao seu detentor a propriedade digital sobre a imagem na internet.

Organizado pela família Clem, o leilão foi arrematado pela gravadora 3F Music, localizada no Dubai, pelo equivalente a 25 Ethereum, criptomoeda que vale cerca de US$ 74 mil no câmbio atual.

A NFT leiloada é uma captura do vídeo de Chloe, então com 6 anos, gravado em 2013 quando a garota fez o famoso olhar após saber de uma viagem surpresa à Disney. Apesar da propriedade sobre o arquivo, a 3F Music não é a "dona" do meme — apenas do arquivo digital.

"Se nos basearmos em vendas de memes anteriores, o valor é baixo, mas nós estamos gratos pelo que vendeu", afirmou à BBC a mãe da menina (que hoje tem 10 anos), Katie Clem. "O dinheiro é incrível, mas é o fato de que podemos fazer isso em família que é tão divertido."

No início deste ano, memes atraíram diversos compradores — o Nyan Cat, outro "clássico" da internet, foi vendido por US$ 880 mil, equivalente a 300 Ethereum à época.

O que é NFT?

O NFT (sigla para "token não fungível") funciona da mesma maneira: é um registro de que uma peça é única e tem dono. Ou seja, quem compra uma arte digital via NFT não está levando um arquivo que pode ser submetido com facilidade aos comandos de copiar e colar — está levando um certificado único, que não pode ser substituído.

Os certificados de NFT usam a estrutura da tecnologia de blockchain, que, assim como acontece com o bitcoin, oferece um registro seguro, transparente e descentralizado. Quando o sistema anota que uma pessoa é dona de um bem digital, é impossível apagar ou duplicar o registro — e todo o histórico de transações envolvendo esse NFT fica disponível.

Estadão
Publicidade
Publicidade