0

Startup The Coffee recebe aporte de R$ 28 mi e quer expandir lojas para a Europa

Criada por três irmãos em 2018, a foodtech de cafeterias minimalistas espera inaugurar seis lojas na Europa até o meio de 2021

2 dez 2020
14h04
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

A The Coffee, startup de cafeterias de Curitiba, anunciou nesta terça-feira, 1, o recebimento de um aporte de R$ 28 milhões liderado pela Monashees e com a participação da Norte Ventures e Shift Capital. A foodtech, que hoje tem 30 unidades espalhadas pelo Brasil, tem inspiração japonesa e minimalista nas lojas.

Com o investimento, os planos da The Coffee é trabalhar a expansão no Brasil e no exterior, com lojas na Europa e a abertura de um e-commerce. A foodtech tem, hoje, estabelecimentos em Curitiba, São Paulo, Florianópolis, Belo Horizonte, Fortaleza, Blumenau e Balneário Camboriú e quer aumentar a presença no Brasil para 100 lojas até o final de 2021.

Para a Europa, o projeto é ainda mais otimista: serão duas lojas em Lisboa, duas em Madri e duas em Barcelona, todas abertas até a metade do ano que vem. Segundo Alexandre Fertonani, um dos cofundadores do negócio, é o estilo das cafeterias que permite uma rápida expansão para as cidades.

"Por sermos minimalistas e usarmos tecnologia, nosso negócio pode ser escalável com maior rapidez e facilidade do que as cafeterias tradicionais. Vamos começar por Espanha e Portugal para depois ir entrando em outros mercados. Além da questão financeira, existe todo um processo burocrático que deve ser respeitado para entrar num novo país, sem contar que as necessidades e forma de consumo de cada lugar é diferente também", explica.

O negócio, criado pelos irmãos Alexandre, Carlos e Luis Fertonani em 2018, também se diferencia na forma de consumo na loja. Nos estambelecimentos de cerca de 6m², os clientes pedem tudo pelo tablet ou pelo app da cafeteria, e o pagamento é processado diretamente no cartão — as lojas não aceitam dinheiro.

Para 2020, a The Coffee deve lançar um e-commerce, para vender produtos como a seleção de cafés da marca. A Aposta é crescer também no mercado online em busca de fortalecer a empresa no País.

"Prezamos muito pelo que construímos até aqui. Cada detalhe do logo, do menu do tablet, cardápio, embalagem foi pensado para que a The Coffee fosse mais que 'mais uma cafeteria'. Nosso desejo é que nosso público seja mais mais que um comprador de produto. Seja parte de todo e compartilhe desse lifestyle que estamos desenvolvendo", afirma Fertonani.

Veja também:

Como a Tesla fez de Musk a 2ª pessoa mais rica do mundo
Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade