1 evento ao vivo

Startup de mobilidade lança serviço de assinatura

Grin Prime custa R$ 15 por mês e isentará usuário do pagamento de taxa de desbloqueio de patinetes da Grin e também de bicicletas da Yellow

11 dez 2019
05h10
atualizado às 15h55
  • separator
  • 0
  • comentários

A startup de mobilidade Grow vai lançar nesta quarta-feira, 11, um serviço de assinaturas no Brasil. Chamado de Grin Prime, o programa vai custar R$ 15 por mês e isentará os usuários das taxas de desbloqueio dos patinetes da Grin e também das bicicletas da Yellow.

Hoje, é preciso pagar R$ 3 para utilizar um patinete da Grin e R$ 1 para as magrelas, respectivamente. O anúncio foi feito pelo vice-presidente da Grow no Brasil, Marcelo Loureiro, em entrevista ao Estado, na manhã desta terça-feira, 10. Por enquanto, o Grin Prime estará disponível apenas na cidade de São Paulo e poderá ser assinado dentro do próprio aplicativo da Grin.

Grin Prime isentará os usuários das taxas de desbloqueio dos patinetes da Grin e também das bicicletas da Yellow
Grin Prime isentará os usuários das taxas de desbloqueio dos patinetes da Grin e também das bicicletas da Yellow
Foto: Reprodução Instagram

A Grow, vale lembrar, é a empresa que surgiu da fusão entre as startups de mobilidade Yellow e Grin, realizada em janeiro deste ano. Neste plano de assinatura, não estarão incluídos os patinetes da Yellow - em novembro, a empresa assinou um contrato de exclusividade com a Rappi, que só permite que os veículos sejam desbloqueados com o aplicativo da empresa colombiana de entregas.

O Brasil não é o primeiro País a receber o Grin Prime: o serviço foi lançado México em novembro, onde a assinatura mensal custa 49 pesos (equivalente a R$ 10,50). Por lá, porém, o programa de benefícios inclui apenas o uso de patinetes elétricos. Além disso, também está disponível no Peru, Colômbia, Argentina e Uruguai. Ao todo, o serviço já tem 50 mil inscritos.

Segundo o vice-presidente da Grin no Brasil, Marcelo Loureiro, a expectativa é de que o serviço ajude a popularizar os modais. "Para quem usa o serviço em quantidade, isso pode baratear bastante o custo", diz ele, que não vê a startup perdendo dinheiro com o programa. "Vejo o Grin Prime como investimento, não como prejuízo."

Por enquanto, o serviço dará apenas isenção à taxa de desbloqueio, mas não estão descartados outros tipos de descontos.

Veja também

 

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade