PUBLICIDADE

O que muda na lei que amplia penas para crimes digitais

A atualização sancionada por Bolsonaro foi na lei Carolina Dieckmann, a primeira legislação específica a tratar de crimes digitais no Brasil

2 jun 2021 18h05
ver comentários
Publicidade

O governo Jair Bolsonaro sancionou na última sexta-feira, 28, a lei 14.155, que modifica o Código Penal para tornar mais rigorosas as penas para crimes cibernéticos no Brasil.

A lei quadruplica a punição para diversos crimes praticados por meio digital, além daqueles que se utilizam de informações fornecidas pela vítima induzida ao erro através de redes sociais, mensagens ou e-mails falsos.

A atualização foi na lei chamada Carolina Dieckmann, a primeira legislação específica a tratar de crimes digitais no Brasil, que foi aprovada em 2012 e que leva o nome da atriz após ela ter seu computador invadido por um hacker que roubou fotos íntimas da atriz em 2011.

A lei quadruplica a punição para diversos crimes praticados por meio digital.
A lei quadruplica a punição para diversos crimes praticados por meio digital.
Foto: Kacper Pempel

Desde então, a pena para crimes cibernéticos era de três meses a um ano de reclusão e apenas no regime aberto ou semiaberto, mais multa. A partir de agora, a pena passou para um a quatro anos de prisão, com possibilidade de cumprimento da sentença também em regime fechado e com uma multa. 

No entanto, as penas podem chegar até 8 anos de prisão, mais multas, e ainda serem agravadas se os crimes forem praticados com o uso de servidor mantido fora do Brasil ou se a vítima for uma pessoa idosa ou vulnerável.

Na lei vigente anteriormente era considerado crime quebrar uma senha ou burlar algum tipo de barreira digital. Porém, a atualização da lei retirou esse trecho e tornou o uso da lei mais abrangente. 

A partir de agora, apenas a invasão de dispositivo já é ilegal, incriminando quem obtém acesso ao celular ou computador alheio por meio de algumas engenharia social, como por exemplo, convencendo uma pessoa a compartilhar sua senha. 

O projeto de lei, de autoria do senador Izalci Lucas (PSDB-DF) e com texto substitutivo do deputado Vinicius Carvalho (Republicanos-SP), tramitava desde o ano passado e era uma demanda por parte de diferentes instâncias do Ministério Público e também de policiais que trabalham com esse tipo de investigação.

Para saber todos os detalhes de como vai funcionar, assista ao Terra Bytes desta semana!

O que muda com a lei que quadruplica penas na internet:

 

Fonte: Equipe portal
Publicidade
Publicidade