0

Neuralink: Implante de chip no crânio é nova aposta de Musk

A empresa de saúde do empresário dono da Tesla e SpaceX promete solucionar problemas neurológicos com dispositivo do tamanho de uma moeda

2 set 2020
12h54
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O empresário Elon Musk, além de apostar nos carros elétricos e autônomos, com a sua montadora Tesla Motors, e na colonização de outros planetas, com a sua companhia de exploração espacial SpaceX, também está de olho na área da saúde. Com a sua nova empresa, a Neuralink, o sul-africano tem um plano ambicioso para solucionar problemas de ordem neurológica, como por exemplo a perda de memória, vícios e danos cerebrais: implantar um chip do tamanho de uma moeda no crânio das pessoas, conectando-o com os neurônios, fundindo seres humanos e máquinas.

O ambicioso plano de Musk está sendo desenvolvido desde julho do ano passado, quando o empresário anunciou a criação da Neuralink e fez uma chamada pública para profissionais que quisessem participar do projeto. À época, o primeiro protótipo era um chip que seria implantado na região próxima à orelha do paciente, que teria fios que se estenderiam até o cérebro, onde se conectariam com os neurônios.

Na última sexta-feira (28/08), no entanto, o empresário apresentou ao público, em uma transmissão ao vivo, uma nova forma de alcançar os neurônios dos pacientes. Agora, o dispositivo será implementado na parte superior do crânio. Além disso, o aparelho já começa a ganhar forma: será um chip, do tamanho de uma moeda, que terá bateria, conectividade bluetooth e wifi, além de fios extremamente finos para ligação com os neurônios.

Elon Musk segura o chip desenvolvido pela Neuralink; o dispositivo é implantado no crânio do paciente
Elon Musk segura o chip desenvolvido pela Neuralink; o dispositivo é implantado no crânio do paciente
Foto: Neuralink/YouTube / Reprodução

Para implementar o chip, o procedimento será feito por robôs que estão sendo desenvolvidos pela própria empresa. A cirurgia retirará uma parte do crânio, conectará os fios com os neurônios e colocará o chip no local. Segundo Musk, não haverá necessidade de anestesia geral e o paciente poderá sair andando do local no mesmo dia com o aparelho instalado.

Na foto, um dos robôs desenvolvidos pela Neuralink para a realização dos procedimentos cirúrgicos
Na foto, um dos robôs desenvolvidos pela Neuralink para a realização dos procedimentos cirúrgicos
Foto: Reuters

As principais aplicações do chip estão relacionadas ao combate de problemas neurológicos. Por meio de impulsos elétricos em determinadas áreas cerebrais, diz Musk, o dispositivo conseguirá reverter quadros de insônia, depressão, ansiedade e vícios. Além disso, o aparelho também possibilitará controlar aparelhos eletrônicos e ouvir música apenas com o pensamento. Outro ponto é o monitoramento do quadro clínico do usuário, de forma semelhante ao que as pulseiras e relógios inteligentes fazem.

Embora audacioso, o projeto da Neuralink ainda está em fase inicial e necessita comprovar sua segurança para as autoridades, em especial a Food and Drug Administration (FDA), para que seu dispositivo possa ser testado em humanos. Apesar de ainda estar nessa primeira etapa do desenvolvimento do produto, em julho deste ano, a FDA encaixou o chip da companhia no "Breaktrough Devices Program", uma iniciativa voluntária que conecta especialistas da agência reguladora com empresas para desenvolver dispositivos que ofereçam tratamento ou combatam doenças.

Fonte: Equipe portal
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade