0

Bossa Nova cria fundo para investir R$ 5 milhões em fintechs

Grupo formado por uma das maiores gestoras de capital de risco (venture capital) procura startups financeiras brasileiras para fazer os primeiros aportes

29 jul 2020
05h11
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

A Bossa Nova Investimentos, que faz aportes em startups em fase inicial, anunciou nesta semana a criação de um fundo específico para apoiar fintechs brasileiras, o Pool Fintech. Liderado por João Bezerra, ex-CTO do Banco Itaú, o grupo já possui R$ 5 milhões de reais para fazer os primeiros investimentos.

Além de Bezerra, o Pool Fintech tem as participações de investidores como Priscila Debres, diretora na Lebes Financeira, Jackson Gomes, ex-diretor do Banco Original, Eduardo Mazon, diretor executivo no Banco BMG, Carlos Augusto de Oliveira, consultor de transformação digital, Rodolfo Froes, membro do conselho do Banco Fator, Rodolfo Fücher, presidente da Associação Brasileira de Software (ABES) e Marco Antunes, vice-presidente de sustentabilidade de negócios no Banco BMG.

Juntos, os investidores pretendem encontrar 10 startups financeiras para dividir o valor de R$ 5 milhões. Segundo João Kepler, Diretor da Bossa Nova Investimentos, o bom mercado das fintechs e o aumento do segmento no País atraíram as atenções para esse tipo de negócio.

"Este não é o primeiro grupo de investidores que trabalhamos. Já também fizemos projetos com startups de educação e de direito (lawtechs). Enxergamos uma oportunidade única em trabalhar desta forma. Reunir nomes de grande relevância, que tenham experiência em investimento em startups e conheçam como ninguém o segmento, é a forma mais assertiva de encontrar empresas que tenham potencial para ganhar escala", afirma.

A primeira reunião para o investimento acontece no mês de agosto e o Pool Fintechs já está selecionando as startups financeiras para fazer o investimento. Interessadas podem se inscrever no site http://www.bossainvest.com/fintech/.

Veja também:

Veja as apostas da Samsung para o 2° semestre de 2020
Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade