0

Aceleradora B2Mamy abre espaço a mães empreendedoras em SP

A Casa B2Mamy funcionará com assinatura mensal de R$ 199; local terá espaço para as mães ficarem com seus filhos enquanto trabalham

21 ago 2019
05h11
atualizado às 09h41
  • separator
  • 0
  • comentários

O bairro de Pinheiros, em São Paulo, ganhará no dia 5 de setembro um novo espaço focado em mães empreendedoras. No local, elas poderão trabalhar, trocar experiências e participar de eventos e cursos - além de ficar perto de seus filhos, que ficarão sob o cuidado de monitores. Trata-se do primeiro espaço físico da aceleradora para mães B2Mamy, fundada em 2016, que só no ano passado realizou mais de 80 eventos em locais espalhados pela cidade.

Mais de sete mil mulheres já participaram de atividades da aceleradora B2Mamy
Mais de sete mil mulheres já participaram de atividades da aceleradora B2Mamy
Foto: Divulgação

Para construir o lugar, batizado de Casa B2Mamy, a aceleradora arrecadou R$ 150 mil em uma vaquinha virtual. "Sentíamos necessidade de um espaço de conexão entre as mães para além de um evento pontual", disse Dani Junco, presidente executiva da B2Mamy, em entrevista exclusiva ao Estado. Ela conta que a B2Mamy já tem uma rede de participantes: muitas mulheres frequentam várias atividades da aceleradora e os ingressos de eventos costumam acabar menos de duas horas. Mesmo antes de ser inaugurada, a Casa B2Mamy já tem 21 eventos agendados.

A Casa B2Mamy funcionará praticamente como um clube: para participar de todo o espaço, as mães pagam uma mensalidade de R$ 199. Eventos e cursos, entretanto, serão abertos para quem quiser comprar o ingresso. "Nosso foco é na maternidade, mas os pais são bem-vindos também, temos recebido homens que querem aprender como melhorar", afirma Dani Junco.

O espaço também receberá empresas voltadas ao público materno ou infantil: na Casa B2Mamy, as companhias poderão fazer ativação de marca e pesquisas de mercado. Até agora, 12 marcas já fizeram parceria com a aceleradora.

Mães poderão organizar eventos

Além das atividades promovidas pela B2Mamy, o espaço será um lugar para as próprias mães organizarem eventos. "Realizar um evento em São Paulo é caro, queremos oferecer uma alternativa acessível", afirma Dani.

Até então, sem o lugar físico, os eventos da aceleradora eram esporádicos, feitos em centros de inovação como o Cubo, do Itaú, e o Inovabra, do Bradesco - apesar da questão do espaço, mais de sete mil mulheres já participaram de atividades da B2Mamy. Agora, a meta com a Casa B2Mamy é aumentar esse número.

*É estagiária, sob supervisão do editor Bruno Capelas

Veja também

 

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade