1 evento ao vivo

Teste: phablet tem tela curva e regenera riscos por R$ 2.699

O aparelho topo de linha da LG entra na categoria de phablets por ter uma tela superior a cinco polegadas

10 mai 2014
14h24
atualizado às 14h26
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O LG G Flex é o primeiro phablet com tela curva e flexível da empresa sul-coreana. Ele é mais ergonômico ao fazer as ligações, pois deixam o ouvido e a boca do consumidor mais próximas do aparelho. Vale lembrar que sua bateria também é curva, ajudando a adaptar melhor o gadget às medidas necessárias no cotidiano.

Compare smartphones topo de linha

Diferente dos outros celulares do gênero, ele possui uma característica mais próxima dos smartphones do que dos tablets. Ele é mais fácil para ser levado de um lado para o outro, pois sua tela encurvada permite colocá-lo em bolsos de calças, camisas ou bolsas e mochilas pequenas.

O aparelho entra na categoria de phablets por ter uma tela superior a cinco polegadas - ela mede seis polegadas e possui alta resolução (1280x720p) e tecnologia OLED, do mesmo tipo que pode ser encontrada nas TVs curvilíneas da companhia.

Outra novidade do LG G Flex é a técnica que regenera pequenos riscos na traseira do celular, o self-healing. Deve se ressaltar que essa funcionalidade age apenas com a parte de trás do aparelho e não com a tela touchscreen. Ainda é necessário lembrar que os seus riscos corrigidos são mais aqueles mais comuns do cotidiano como chaves, unhas e pequenas quedas.

Embora a empresa diga que possui apenas um botão perto da câmera, na verdade são três. O botão "start" para ligar e desligar o G Flex ou travar sua tela, e os botões de "mais e menos" para aumentar e abaixar o volume de som ou zoom da câmera. O LG Flex possui processador Quadcore 2.26 GHz, 2 GB de memória RAM e 32 GB de armazenamento - dá para colocar muitos aplicativos pesados nele que ele roda com tranquilidade.

Câmera
Com câmera frontal de 2.1 megapixels e traseira de 13 megapixels, as imagens são boas para uma câmera de celular (mesmo na frontal). Com ele, é possível tirar fotos no modo normal, noite, câmera dupla (com as duas câmeras alinhadas), com filtro de imperfeição, esportes, inteligente automático, captura prévia, disparo contínuo de até 20 fotos simultâneas, Panorâmica VR (para tirar fotos em 360º), panorâmica comum e tom dinâmico HDR (para fotos em alta resolução).

<p>Mesmo com &oacute;tima tela e resolu&ccedil;&atilde;o, ele ainda n&atilde;o est&aacute; entre os gadgets que gravam e visualizam v&iacute;deos em 4K</p>
Mesmo com ótima tela e resolução, ele ainda não está entre os gadgets que gravam e visualizam vídeos em 4K
Foto: Henrique Medeiros / Terra

Para filmagens ele possui gravações no modo normal, efeito ao vivo, gravação dupla (usando câmera frontal e traseira) e controle de zoom, para focar em um objeto ou pessoa durante a gravação. Nas gravações ainda é possível utilizar o "audio zoom" para focar a gravação de som em um único local. Vale lembrar que embora o botão esteja perto da câmera, passar o dedo por trás da câmera quase não afeta suas imagens.

Sistema
O LG G Flex usa o Android 4.2 JellyBean. Por utilizar o sistema operacional do Google ele possui as principais ferramentas da empresa californiana como Google Chrome, Google Drive e Google +. Além dos apps do Google, a LG também colocou seus próprios aplicativos. Destaque para o QTheater, uma galeria de imagens interativas que utiliza bem a ideia da tela curva, como um palco para apresentar imagens, sons ou vídeos.

O G Flex também tem a opção Dual Windows, que permite ao usuário dividir a tela em dois e fazer duas coisas ao mesmo tempo, o Swing Lockscreen que altera a tela de bloqueio de acordo com a posição que o aparelho é segurado e o Urgent Call Alert, que aciona uma luz vermelha quando várias ligações de uma mesma pessoa não são atendidas. Contudo, a principal inovação da LG neste celular é o Knock On, um sistema que trava e destrava com apenas dois toques na tela.

Conclusão
A LG coloca o aparelho como o primeiro de sua linha premium do gênero no Brasil, com a tela e bateria curvas. Mesmo com ótima tela e resolução, ele ainda não está entre os gadgets que gravam e visualizam vídeos em 4K. E ele também não possui ainda de aplicativos com o Lifelogging, que segue e interage com o cotidiano do usuário do phablet.

Sua bateria de 3,400 mAh cumpre o prometido, longa duração que pode deixá-lo uns dois dias sem a necessidade de carregar - quando não utilizado nenhum aplicativo e só ligações são atendidas. O LG G Flex ainda possui o problema de muitos celulares, com um pequeno aquecimento depois de um longo uso - em especial quando roda aplicações pesadas e jogos. No entanto, ele não trava. Assustador é apenas o preço de R$ 2.699,99.

Veja também:

Por que o Facebook bloqueou conteúdos na Austrália?
Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade