3 eventos ao vivo

CEO do YouTube anuncia políticas mais rígidas para punir conteúdos prejudiciais

2 fev 2018
17h18
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Segundo post de Susan Wojcicki, CEO do YouTube, no blog da plataforma, em breve a plataforma de vídeos funcionará seguindo políticas ainda mais rígidas para criadores de conteúdos considerados inadequados, o que pode prejudicar a reputação do serviço e também impactar na receita de outros YouTubers.

YouTube
YouTube
Foto: Canaltech

"Embora esses casos sejam raros, eles podem prejudicar seus colegas criadores, então queremos garantir que tenhamos políticas no lugar que nos permitam responder adequadamente", disse a executiva, usando como gancho o recente caso envolvendo o vlogger Logan Paul, que postou um vídeo mostrando o corpo de um homem que havia se suicidado. O caso gerou polêmica na rede, com o YouTube removendo o vídeo após denúncias.

Wojcicki disse também que a empresa tem "séria responsabilidade social", então busca "o conselho de dezenas de consultores especializados e terceiros" para casos como o mencionado acima, citando o exemplo de "questões com discurso de ódio, em que trabalhamos com a Liga Anti-Difamação dos EUA". Para conseguir aplicar as políticas existentes, o YouTube conta com aprendizado de máquina e policiamento humano, e isso será intensificado neste ano.

Além disso, a CEO acrescenta que o YouTube está trabalhando em um método para melhor desmonetizar determinados conteúdos. "Trabalhamos duro para fornecer um sistema de recursos e respostas mais rápidas aos criadores quando um vídeo é desmonetizado", explica. "Ouvimos alto e claro que precisamos de um sistema melhor", continua, se referindo ao que surgirá a partir de agora. A empresa agora trabalha em revisões mais humanas do conteúdo desses vídeos.

Veja também:

Veja como funciona a Bixby, assistente de voz da Samsung
Canaltech Canaltech
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade