0

Ações da Tesla caem 10% após Musk dizer que estão supervalorizadas

Executivo voltou a atacar no Twitter para calafrios dos investidores das montadoras

1 mai 2020
16h11
atualizado às 17h53
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator
Musk tuitou e derrubou ações da Tesla 
Musk tuitou e derrubou ações da Tesla
Foto: Elon Musk/Twitter / Estadão

O polêmico Elon Musk, presidente executivo da Tesla, derrubou as ações da empresa nesta sexta, 1, após publicar no Twitter que os papéis estavam supervalorizados. A publicação foi feita perto do meio-dia e imediatamente fez o valor das ações cair cerca de 10%.

Esta não é a primeira vez que o comportamento do executivo na rede social causa reflexos diretos nas ações da Tesla. Em maio do ano passado, Musk, fez um acordo com a Securities and Exchange Comission (SEC), órgão regulador do mercado financeiro nos EUA, a respeito de tuítes que tenham informações sobre a companhia. O acordo diz que qualquer informação sobre a Tesla, incluindo posts no Twitter, deveriam ser pré-aprovados pelo departamento jurídico da empresa.

Entre as informações estão: condições financeiras; aquisições, fusões, parcerias ou sociedades com outras empresas; número sobre produção, entrega ou vendas de veículos que não tenham sido compartilhados publicamente ou que sejam diferentes dos divulgados pela Tesla; projetos de novas linhas de negócio que sejam diferentes do segmento de automóveis; mudanças no status de crédito e financiamento; decisões legais ou regulatórias que não sejam públicas.

A nova explosão verbal no Twitter fez seguidores especularem se o executivo havia sido hackeado. Após a mensagem sobre as ações da Tesla, seguiram-se outras mensagens 'absurdas'. Em um delas, ele disse que se livraria de todos os seus bens - afirmou que não seria proprietário de nenhuma casa. Twitter, Tesla e Musk não comentaram as mensagens até a publicação deste texto.

Ainda que as mensagens tenham sido hackeadas, Musk já demonstrou sua falta de apreço pela SEC. Em uma entrevista em dezembro de 2018 ao programa "60 Minutes", da CBS, Musk disse que não tem respeito pela SEC. Ele também chegou a dizer que a ação da SEC na épooca era um abuso de poder inconstitucional.

Após um grande ano da Tesla, que no começo do ano se tornou uma montadora de US$ 100 bilhões, Musk levanta novamente preocupações de investidores, que veem o executivo distraído demais com a sua vida agitada para comandar a fabricante de carros elétricos.

Veja também:

Como a Tesla fez de Musk a 2ª pessoa mais rica do mundo
Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade