PUBLICIDADE

Segmento de alimentos saudáveis movimentou R$92,5 bilhões em 2017 e deve crescer 3% ao ano até 2022

9 out 2018 15h27
ver comentários
Publicidade

A crescente busca por alimentos mais naturais, orgânicos, livres de conservantes e outros aditivos químicos, tem ganhado espaço em meio a empreendedores dispostos a investir. Cereais, grãos e sementes, como arroz integral, aveia, quinoa e linhaça, ganharam o apetite e a mesa dos brasileiros e, hoje, passam a integrar o cardápio de mais pessoas.

Aumento no consumo de comida saudável aquece setor alimentício

Se antes o consumo de alimentos saudáveis e integrais era feito exclusivamente por um público com maior poder aquisitivo, hoje, já é possível enxergar uma disseminação desses produtos, e a alta da demanda tem incentivado o surgimento de lojas naturais, espalhadas por diversos bairros das cidades.

De acordo com dados de uma pesquisa realizada pela Euromonitor International, o segmento de produtos saudáveis movimentou, apenas em 2017, R$92,5 bilhões no país. Isso significa um aumento considerável de 9,5% em comparação a 2012. Atualmente, o Brasil se encontra em quarto lugar no ranking global, levando em consideração o faturamento de vendas do setor no ano passado.

O que se espera é que o ramo continue crescendo e apresente um crescimento geral de 3% até o ano de 2022. Lembrando que a pesquisa considerou como sendo um produto saudável todo o alimento ou bebida com ingredientes livres de glúten, lactose e com ingredientes não saudáveis reduzidos (ou suprimidos), além de possuírem características saudáveis adicionadas e com certificação orgânica.

Considerando apenas o segmento de orgânicos, é esperado que haja uma movimentação de R$ 153 milhões apenas este ano, o que representa um aumento de 2% em comparação com 2017. Em partes, é possível associar o aumento da demanda por produtos saudáveis à melhora no poder aquisitivo do brasileiro, mas também a uma preocupação, cada vez mais crescente, em consumir alimentos benéficos, com menos sódio e outras substâncias químicas.

O relatório Tendências Mundiais de Alimentação e Bebidas 2017, outra pesquisa que veio para confirmar o otimismo crescente entre empreendedores que já investem no mercado de produtos saudáveis, elaborada pela agência de pesquisas Mintel, aponta que quatro a cada cinco brasileiros estão inclinados a ter um maior gasto ao se alimentar, contanto que estejam consumindo algo com um maior valor nutricional.

A pesquisa ainda revela que, dentre seus entrevistados, 79% já buscam substituir produtos industrializados convencionais por opções mais saudáveis. Além disso, 44% preferem produtos sem corantes artificiais e 24% comeriam grãos integrais, como aveia, quinoa e linhaça se soubessem como prepará-los no dia a dia.

Consumidores se mostram mais engajados com a alimentação saudável

De acordo com pesquisa realizada pelo Instituto Data Folha para a Assert (Associação das Empresas e Refeição e Alimentação Convênio para o Trabalhador), os empreendedores do segmento alimentício (donos de lanchonetes, padarias, bares e restaurantes) também notaram uma diferença nas exigências de seus consumidores.

Dos 4.560 empreendedores entrevistados, 53% notaram um aumento nos pedidos por frutas, 61% afirmaram que seus clientes estão consumindo mais legumes e verduras e 65% garantiram que houve aumento do consumo de sucos naturais.

Encontrar comida saudável pela internet é com a Eat Well Brasil

Na Eat Well Brasil, é possível encontrar produtos saudáveis, especialmente desenvolvidos com alimentos orgânicos e livres de conservantes e outras substâncias químicas prejudiciais para a saúde.

É possível ter uma alimentação saudável com as diversas opções de massas, saladas, sucos, bolos, proteínas e pratos vegetarianos e veganos presentes no cardápio da Eat Well Brasil.
Navegue pelo site para conhecer mais sobre a empresa e o menu de comida saudável.



Website: https://www.eatwellbrasil.com.br/

DINO Este é um conteúdo comercial divulgado pela empresa Dino e não é de responsabilidade do Terra
Publicidade
Publicidade