PUBLICIDADE

Mundo

‘Vaquinha’ arrecada mais de R$ 1,6 milhão para brasileiro que interrompeu ataque a escola na Irlanda

Até a noite desta sexta-feira, 24, a 'vaquinha' havia arrecadado € 303.581 (mais de R$ 1,6 milhão)

24 nov 2023 - 22h20
(atualizado às 22h42)
Compartilhar
Exibir comentários
‘Foi puro instinto’ diz brasileiro que interrompeu ataque a escola na Irlanda.
‘Foi puro instinto’ diz brasileiro que interrompeu ataque a escola na Irlanda.
Foto: Reprodução/The Journal

O entregador brasileiro Caio Benício, de 43 anos, está sendo considerado um ‘herói’ na Irlanda após impedir a continuidade de um ataque a facadas em Dublin, capital do país. O homem estava trabalhando com sua moto quando viu o agressor esfaqueando uma menina de 5 anos. Ele usou seu capacete para dar golpes no suspeito. 

O crime aconteceu na quinta-feira, 23, e ganhou repercussão nacional e internacional. Nesta sexta-feira, 24, foi aberta uma ‘vaquinha virtual’ para o brasileiro. Na justificativa da vaquinha, que se chama ‘Compre uma cerveja para Caio Benício’, é explicado que a campanha foi aberta em agradecimento a Caio. Uma outra 'vaquinha' foi criada para arrecadar dinheiro para as vítimas do ataque. 

A meta inicial era receber € 200 mil (pouco mais de R$ 1 milhão), que foi rapidamente superada. Até as 22h40 desta sexta, a 'vaquinha' havia arrecadado € 303.581 (mais de R$ 1,6 milhão). Nos comentários do site, há vários elogios ao brasileiro. 

Protestos e tumultos eclodem em Dublin após crianças serem esfaqueadas:

Momentos de terror

Em entrevista ao The Journal, Caio contou que estava trabalhando quando viu um homem atacando uma vítima com uma faca na Parnell Square East, praça movimentada de uma área residencial no centro de Dublin. Imediatamente, o brasileiro desceu, tirou o capacete e atingiu o agressor com o objeto. 

“Nem tomei decisão, foi puro instinto e tudo acabou em segundos. Ele caiu no chão, eu não vi para onde foi a faca e outras pessoas intervieram”, disse Caio. “Eu também tenho dois filhos, então tive que fazer alguma coisa. Eu fiz o que qualquer um faria. As pessoas estavam lá, mas não puderam intervir porque ele estava armado, mas eu sabia que poderia usar meu capacete como arma”. 

O ataque deixou cinco feridos, sendo três crianças. Segundo o primeiro-ministro do país, Leo Varadkar, o homem, suspeito de ter cometido o crime, foi detido. 

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade