0

Tribunal dos EUA contraria medida de Trump sobre imigração

16 ago 2019
18h24
atualizado às 19h06
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

A decisão de um tribunal de apelações dos Estados Unidos, nesta sexta-feira, representou uma derrota para o governo do presidente Donald Trump em sua proposta de tentar barrar quase todos os pedidos de asilo na fronteira do país com o México, mas não chegou a tornar sua decisão uma medida de amplitude nacional.

Presidente dos EUA, Donald Trump
13/08/2019
REUTERS/Jonathan Ernst
Presidente dos EUA, Donald Trump 13/08/2019 REUTERS/Jonathan Ernst
Foto: Reuters

Na decisão, que contraria a postura linha dura de Trump contra a imigração, a 9ª Corte de Apelações afirmou que a decisão se aplica apenas aos nove estados do oeste do país que compõe o 9º Circuito. Apenas dois deles, Califórnia e Arizona, estão na fronteira sul com o México. 

Isso deixou aberta a possibilidade de que o impedimento, que requer que a maioria dos requisitantes de asilo o busquem primeiro em um outro país, possa ser aplicado nos Estados do Texas e do Novo México, que também fazem fronteira com o México. 

A decisão do tribunal ocorreu no mesmo dia em que a Califórnia e outros Estados, assim como uma coalizão de grupos de defesa de imigrantes, entraram com ações na Justiça para impedir uma outra iniciativa de Trump para reduzir a imigração, a de negar os vistos a imigrantes que não consigam comprovar um patamar mínimo de renda. 

A enxurrada de atividades legais tenta suspender grandes medidas políticas do governo Trump que buscam repreender a imigração, uma questão central na plataforma política do presidente republicano. 

Um dos principais objetivos de Trump tem sido reduzir o número de pedidos de asilo de imigrantes, a maioria deles centro-americanos, que cruzaram a fronteira entre Estados Unidos e México em números recordes durante seu governo. 

Veja também:

 

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade