0

Tailândia tem maior protesto em anos conta governo e monarquia

19 set 2020
12h26
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Cerca de 20 mil pessoas protestaram na capital da Tailândia neste sábado contra o governo do ex-líder do golpe e primeiro-ministro Prayuth Chan-ocha, com muitos manifestantes também pedindo reformas na monarquia.

Manifestante pró-democracia em Bangkok, Tailândia. 19/9/2020. REUTERS/Soe Zeya Tun
Manifestante pró-democracia em Bangkok, Tailândia. 19/9/2020. REUTERS/Soe Zeya Tun
Foto: Reuters

"Abaixo o feudalismo, viva o povo", foi um dos gritos na maior manifestação em Bangkok desde que Prayuth assumiu o poder em um golpe de 2014.

Protestos vêm crescendo no país do sudeste asiático desde meados de julho, exigindo a remoção do governo, uma nova constituição e eleições. Eles também quebraram um tabu antigo ao criticar a monarquia do rei Maha Vajiralongkorn.

Os protestos foram transferidos do campus da Universidade Thammasat, um foco tradicional de oposição ao estabelecimento militar e monarquista, para Sanam Luang - traduzido como Campo Real - fora do Grande Palácio.

Os organizadores disseram que havia 50 mil pessoas na última manifestação. A polícia disse que havia pelo menos 18 mil, ainda o suficiente para torná-lo maior do que um protesto no mês passado. Os manifestantes disseram que planejam passar a noite e marchar para a Casa do Governo na manhã de domingo.

O protesto ocorreu no aniversário do golpe contra o então primeiro-ministro populista Thaksin Shinawatra em 2006. Entre os manifestantes estavam muitos de seus seguidores de camisa vermelha, veteranos dos confrontos de uma década atrás com camisas amarelas pró-estabelecimento.

Os militares, que se autoproclamam defensores da monarquia e da estabilidade nacional, realizaram várias repressões sangrentas contra os manifestantes desde o fim da monarquia absoluta em 1932, bem como 13 golpes bem-sucedidos.

A última vez que uma multidão tão grande se reuniu em Sanam Luang estava de luto pelo falecido rei Bhumibol Adulyadej, que era amplamente venerado no país de 70 milhões de habitantes.

Veja também:

Como funcionam as eleições presidenciais nos EUA
Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade