PUBLICIDADE

Putin diz a Erdogan estar pronto para retomar exportação na Ucrânia

Líderes conversaram por telefone nesta segunda-feira (30)

30 mai 2022 - 15h41
(atualizado às 15h56)
Ver comentários

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, e seu homólogo turco, Recep Tayyip Erdogan, conversaram nesta segunda-feira (30) por telefone para debater a situação na guerra e afirmou que está pronto para facilitar a exportação de grãos de portos da Ucrânia O anúncio foi feito pelo gabinete do líder turco, conforme relatado pela agência russa Tass.

Líderes conversaram por telefone nesta segunda-feira
Líderes conversaram por telefone nesta segunda-feira
Foto: ANSA / Ansa - Brasil

Durante a ligação, Putin confirmou para Erdogan que Moscou está disposto a trabalhar em Ancara para reabrir o tráfego marítimo, que está bloqueado em decorrência do conflito no território ucraniano.

"Putin ressaltou a disponibilidade da Rússia para facilitar o trânsito marítimo de mercadorias sem entraves, em coordenação com os parceiros turcos. Isso também se aplica às exportações de grãos dos portos ucranianos", relatou o Kremlin em um comunicado.

Os dois líderes também discutiram a "questão de garantir uma navegação segura nos mares Negro e Azov, eliminando a ameaça das minas em suas águas".

Além disso, Erdogan disse a Putin que a Turquia planeja organizar uma reunião entre a Rússia, a Ucrânia e a Organização das Nações Unidas (ONU) em Istambul.

"A Turquia está pronta para participar de um potencial mecanismo de observação na Ucrânia, se Moscou e Kiev chegarem a um acordo sobre isso", acrescentou.

Já em relação à escassez de alimentos no mundo, Putin enfatizou que a crise ocorreu "devido à imprudente política financeira e econômica do Ocidente, e disse que a Rússia pode "exportar quantidades consideráveis de fertilizantes e produtos agrícolas se as sanções anti-russas forem retiradas".

Por fim, Erdogan e Putin concordaram em voltar a conversar e debateram "a necessidade" de proteger a zona norte da Síria na fronteira com o território turco, anunciando uma operação militar iminente.

"É necessário tornar esta região segura", disse o presidente da Turquia, citando "ataques contínuos a civis" pelas forças curdas da Unidade de Proteção Popular (YPG), que controlam algumas áreas na região e que Ancara considera terrorista.

O presidente turco ressaltou que tornar a área segura é "imperativo" porque isso ainda não foi possível, apesar de um memorando de entendimento assinado com a Rússia em 2019.

Na semana passada, Erdogan anunciou que "em breve" começaria uma operação militar para proteger uma área de 30 km de profundidade da fronteira turco-síria.

Mais cedo, Sergiy Nikiforov, porta-voz de Volodymyr Zelensky, informou que o presidente da Ucrânia avaliará a proposta de realizar conversas telefônicas a três com os líderes da Rússia e da Turquia, se Putin estiver pronto para participar.

Ansa - Brasil   
Publicidade
Publicidade