2 eventos ao vivo

Violência contra mulher é "ferida aberta", diz Erdogan

O presidente da Turquia, Tayyip Erdogan, deu as declarações depois que uma mulher foi brutalmente morta após impedir um homem de estuprá-la

16 fev 2015
18h56
atualizado às 22h27
  • separator
  • 0
  • comentários

O presidente da Turquia, Tayyip Erdogan, disse nesta segunda-feira (16) que a violência contra as mulheres é uma “ferida aberta” no país, depois de uma mulher ter sido espancada e esfaqueada até a morte após tentar repelir um homem que tentava estuprá-la.

<p>Segundo relatório, 281 mulheres foram assassinadas na Turquia em 2014, um aumento de 31 por cento em relação ao ano anterior</p>
Segundo relatório, 281 mulheres foram assassinadas na Turquia em 2014, um aumento de 31 por cento em relação ao ano anterior
Foto: Can Erok / Reuters

Apesar do aumento da violência contra as mulheres registrado na Turquia no ano passado, o ataque particularmente brutal e público contra Ozgecan Aslan, de 20 anos, tornou-se um tema de discursos e levou a protestos e condenações por parte de políticos.

A polícia disse que a vítima voltava para casa em um micro-ônibus na província litorânea de Mersin, no sudeste do país, na quarta-feira, quando um homem tentou estuprá-la, de acordo com o amplo noticiário da mídia turca sobre o caso.

Quando ela reagiu com um spray de pimenta, o suspeito a esfaqueou e espancou até a morte com uma barra de ferro antes de chamar seu pai e um amigo para ajudar a dispensar o corpo, queimando-o e jogando os restos em um rio.

“Eu vou acompanhar o caso pessoalmente para que eles recebam a punição mais severa. Já estou acompanhando o caso. A violência contra a mulher é um ferida aberta de nosso país”, disse Erdogan durante um discurso em Ancara, nesta segunda.

Segundo a entidade de monitoramento dos direitos humanos Bianet, 281 mulheres foram assassinadas na Turquia em 2014, um aumento de 31 por cento em relação ao ano anterior.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade