PUBLICIDADE

Mortes por Covid-19 na Colômbia passam de 100 mil em meio a terceira onda implacável

21 jun 2021 20h47
ver comentários
Publicidade

As mortes por Covid-19 na Colômbia superaram nesta segunda-feira a marca de 100 mil, informou o Ministério da Saúde, em meio a advertências sobre uma possível escassez de medicamentos e oxigênio nos hospitais durante um grande e brutal terceiro pico de contágios e fatalidades na pandemia.

Paciente com Covid internado em Bogotá
 3/6/2021   REUTERS/Luisa Gonzalez
Paciente com Covid internado em Bogotá 3/6/2021 REUTERS/Luisa Gonzalez
Foto: Reuters

O país, que tem 50 milhões de habitantes, reportou um total de 3,96 milhões de infecções pelo coronavírus, e 100.582 mortos pelo vírus. 

Na segunda-feira, a Colômbia registrou o recorde diário de 648 mortes. 

A Colômbia experimenta nas últimas semanas um número recorde de infecções e mortes pela Covid-19, e alguns já preveem o fim do estoque de suprimentos médicos no país. 

As unidades de tratamento intensivo (UTIs) de clínicas e hospitais das principais cidades estão operando em capacidade quase plena, de acordo com informações publicadas pelas autoridades locais de saúde na capital Bogotá, assim como também em Medellín e Cali, respectivamente a segunda e terceira cidades mais populosas do país. 

"Começamos a descobrir que em todos os lugares já há escassez de alguns recursos, faltam medicamentos para sedação", disse à Reuters César Enciso, coordenador médico de cuidados intensivos do Hospital Infantil Universitário San José, em Bogotá. 

"Se essa situação se mantiver com este número de eventos todos os dias, os recursos vão acabar", acrescentou.

O governo colombiano culpou as semanas de protestos antigovernamentais promovidos por sindicatos, estudantes e outras organizações sociais pelo prolongamento da terceira onda, que começou depois do feriado da Semana Santa. 

"Quando chegamos a essa cifra de 100 mil pessoas mortas pela Covid-19 também temos que fazer uma reflexão sobre a responsabilidade individual diante de direitos e liberdades coletivas", disse o presidente Iván Duque após assistir a uma missa em homenagem às vítimas. 

Apesar do atual pico, o país sul-americano suspendeu a maioria das restrições impostas em março do ano passado para controlar o coronavírus em uma tentativa de impulsionar a economia e em meio a um desprezo generalizado pelas medidas de segurança. 

A Colômbia aplicou mais de 14,9 milhões de doses de vacinas, das quais mais de 4,78 milhões foram de segunda dose.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Publicidade
Publicidade