PUBLICIDADE

Merkel anuncia restrições para não vacinados na Alemanha

País vai limitar a acesso a locais de cultura, lazer e comércio

2 dez 2021 11h35
| atualizado às 12h11
ver comentários
Publicidade
Angela Merkel chega para coletiva de imprensa após reunião com líderes estaduais
Angela Merkel chega para coletiva de imprensa após reunião com líderes estaduais
Foto: EPA / Ansa - Brasil

A chanceler da Alemanha, Angela Merkel, anunciou nesta quinta-feira (2) restrições contra não vacinados para tentar conter a pior onda de contágios por covid-19 no país desde o início da pandemia.

A decisão foi tomada após uma reunião entre o governo federal e as administrações estaduais, a última presidida por Merkel, que no próximo dia 8 passará o bastão para o líder social-democrata e atual vice-chanceler alemão, Olaf Scholz.

A Alemanha vai estender o sistema conhecido como 2G - que permite acesso a locais de lazer apenas para vacinados ou recém-curados - para todo o território nacional. "Locais de cultura e lazer ficarão abertos apenas para vacinados ou curados", disse Merkel, acrescentando que a regra também valerá para o comércio não essencial.

Na prática, quem não tiver se imunizado nem se recuperado recentemente da covid-19 viverá em um regime similar a um lockdown. Além disso, o Parlamento vai debater uma lei para tornar obrigatória a vacinação contra o novo coronavírus, medida já anunciada pela vizinha Áustria e que é defendida por Scholz.

Vivendo um período de transição de governo, o país enfrenta o pior momento da pandemia em termos de novos casos e tem pouco menos de 70% de sua população totalmente vacinada contra a covid.

De acordo com a Universidade Johns Hopkins, a Alemanha é o segundo país no mundo com mais contágios nos últimos 28 dias (1,3 milhão), atrás apenas dos Estados Unidos (2,4 milhão).

Já o número semanal de mortes - foram 1,83 mil óbitos na semana passada - é o mais alto desde o início de março.

Ansa - Brasil   
Publicidade
Publicidade