PUBLICIDADE

Joe Biden e Boris Johnson renovam acordo assinado na 2ª GM

10 jun 2021 17h47
ver comentários
Publicidade

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, e o primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, anunciaram nesta quinta-feira (10) a renovação da Carta do Atlântico, declaração de cooperação firmada na 2ª Guerra Mundial.
    A medida foi tomada para fortalecer a "relação especial" entre os Estados Unidos e o Reino Unido, e uma tentativa de retratar os países como os principais líderes globais enfrentando os maiores desafios do mundo.
    A Carta do Atlântico é uma declaração assinada em 14 de agosto de 1941 pelo então presidente americano, Franklin Roovelt, e pelo premiê britânico, Winston Churchill, em um ato diplomático que lançou as bases para a futura ordem mundial após a 2ª Guerra Mundial, baseada na cooperação entre as grandes potências aliadas.
    A carta se baseia "nos compromissos e aspirações estabelecidos 80 anos atrás", além de afirmar o "compromisso contínuo em sustentar nossos valores duradouros e defendê-los contra novos e velhos desafios".
    Esses compromissos incluem a defesa da democracia, a reafirmação da importância da segurança coletiva e a garantia de um sistema comercial global justo e aberto, segundo o documento.
    Biden e Johnson concordaram com o acordo renovado durante uma reunião bilateral em Carbis Bay, Cornwall, no sudoeste da Inglaterra, antes da cúpula do G7 com outros líderes mundiais, que começa sexta-feira (11).
    Em declaração à imprensa, Biden disse que teve uma "reunião muito produtiva" com Johnson e afirmou que eles discutiram metas "ambiciosas" sobre as mudanças climáticas. O presidente acrescentou ainda que os dois debateram os "sacrifícios compartilhados" dos militares de ambos os países feitos no Afeganistão.
    A carta compromete-se a combater os desafios modernos das ciberameaças e mudanças climáticas e a pôr fim à pandemia de Covid-19. Como resultado do acordo, Biden e Johnson trabalharão para retomar as viagens entre os EUA e o Reino Unido o mais rápido possível. Eles planejam criar uma nova força-tarefa de viagens que fará recomendações sobre a reabertura segura de viagens internacionais.
    Para o escritório de Johnson, o acordo é "um dos maiores triunfos das relações do Reino Unido e dos EUA e fez mais do que qualquer outro acordo para moldar a ordem mundial, levando diretamente à criação da ONU e da OTAN".
    Itália - O presidente americano deve se reunir no próximo sábado (12) com o primeiro-ministro da Itália, Mario Daghi, à margem da cúpula do G7, na Cornualha. O anúncio foi feito por fontes do Palazzo Chigi.

Ansa - Brasil   
Publicidade
Publicidade