PUBLICIDADE

Itália comemora 'aumento significativo' de busca por vacinas

Ministro atribui alta à ampliação do uso do 'passe verde'

25 set 2021 09h32
| atualizado às 09h38
ver comentários
Publicidade

O ministro da Saúde da Itália, Roberto Speranza, comemorou neste sábado (25) o aumento de pessoas que foram buscar a primeira dose das vacinas disponíveis contra a Covid-19 no país na última semana.

Vacinação na Itália teve aumento de procura após exigência do passe verde
Vacinação na Itália teve aumento de procura após exigência do passe verde
Foto: ANSA / Ansa - Brasil

"Estamos ainda dentro da pandemia, mas os resultados da campanha de vacinação são muito encorajadores. Nesta manhã, estamos em 77,4% das pessoas vacináveis que completaram o ciclo, com 83,6 milhões de doses administradas, um número muito significativo que está crescendo. E, nos últimos dias, graças às escolhas que fizemos, há um aumento significativo nas primeiras doses e isso nos coloca em condição de poder governar melhor na epidemia", afirmou Speranza no encontro "Futura 2021".

A fala referia-se à ampliação da obrigatoriedade do "passe verde", o certificado sanitário que atesta que a pessoa completou o ciclo de imunização ou que se curou da doença há no máximo seis meses ou apresentou um teste negativo para a Covid-19 feito há menos de dois dias.

Desde o dia 6 de setembro, o documento é obrigatório para frequentar academias, piscinas públicas, cinemas, teatros, feiras, congressos, eventos esportivos, shows e áreas cobertas de bares e restaurantes de toda a Itália. Além disso, é obrigatório para diversas categorias de trabalhadores.

A fala de Speranza ainda tem uma base de dados que a sustenta.

Nesta sexta-feira (24), o comissário extraordinário para a Emergência, Francesco Figliuolo, mostrou que entre os dias 20 e 24 de setembro, a alta na procura pela primeira dose subiu 32,5%. Foram administradas, em média, 80,5 mil primeiras aplicações por dia, enquanto a média da semana anterior foi de 60,7 mil.

As altas mais significativas ocorreram na faixa etária entre 50 e 59 anos, com alta de 79% na comparação com a semana anterior; houve aumento de 62% entre quem tem 40 e 49 anos; e de 41% entre quem tem 30 e 39 anos. .
   

Ansa - Brasil   
Publicidade
Publicidade