0

Iraque pede aos EUA que reconsiderem sanções ao Irã

"Não queremos que o Iraque seja sobrecarregado com as sanções dos EUA ao Irã", disse Barham Salih

11 nov 2018
15h31
atualizado às 16h40
  • separator
  • comentários

O presidente do Iraque pediu neste domingo aos Estados Unidos que considerem a posição política e econômica de Bagdá enquanto os países negociam o alívio ao Iraque nas sanções impostas ao Irã.

O presidente do Iraque Barham Salih
O presidente do Iraque Barham Salih
Foto: Thaier Al-Sudani / Reuters

Os Estados Unidos disseram na sexta-feira que o Iraque pode continuar a importar gás natural e energia do Irã por um período de 45 dias, desde que o Iraque não pague ao Irã pelas importações em dólares norte-americanos. As sanções ao setor de petróleo de Teerã entraram em vigor em 5 de novembro.

"Não queremos que o Iraque seja sobrecarregado com as sanções dos EUA ao Irã", disse Barham Salih, o recém-eleito presidente, durante uma visita ao Estado árabe do Kuwait, no Golfo Pérsico.

O Iraque quer manter relações "equilibradas" com todos os seus vizinhos e com a comunidade internacional, disse ele.

"O Irã é um país vizinho e nosso interesse está em manter boas e estáveis relações com o Irã", disse, acrescentando que o povo iraquiano também quer aprofundar os laços árabes e no Golfo.

O Iraque precisa reconstruir sua economia e infraestrutura conforme sai de um conflito com o Estado Islâmico.

Autoridades do Banco Central do Iraque disseram em agosto que a economia do país está intimamente ligada ao Irã não-árabe, que está envolvido em várias guerras com a Arábia Saudita na região.

Veja também:

Líderes de Israel e Irã expõem tensão entre os dois países na Conferência de Segurança de Munique

 

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade