0

Governo espanhol quer isolamento parcial de Madri, que discorda

25 set 2020
07h56
atualizado às 11h53
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O governo da Espanha recomendou a readoção de um isolamento parcial em toda a cidade de Madri para conter a disseminação do coronavírus depois que autoridades municipais impuseram restrições somente em algumas áreas da região como um todo, disse o ministro da Saúde nesta sexta-feira.

Mulher canta em sua varanda durante lockdown em Madri
15/05/2020
REUTERS/Susana Vera
Mulher canta em sua varanda durante lockdown em Madri 15/05/2020 REUTERS/Susana Vera
Foto: Reuters

"Estas são as medidas mínimas que temos que tomar para controlar a disseminação do vírus na cidade", disse Salvador Illa aos repórteres.

A Espanha, um dos países europeus mais atingidos pela pandemia, adotou um isolamento draconiano entre março e maio, impedindo as pessoas de saírem de casa. As restrições começaram a ser suspensas em estágios e por região, e foram totalmente descartadas no dia 21 de junho, mas a pandemia ressurgiu nas últimas semanas.

As autoridades da região de Madri ordenaram um isolamento em 45 áreas, principalmente as mais pobres, onde o índice de contágio está acima de mil casos para cada 100 mil pessoas.

Em uma desavença aparente entre o governo nacional e as autoridades regionais, Illa anunciou suas recomendações em uma coletiva de imprensa ao mesmo tempo em que Madri anunciava medidas mais brandas que só cobrem algumas áreas da região.

Illa disse que somente as autoridades regionais de Madri têm poder para tomar esta decisão.

As recomendações de um novo isolamento parcial impediriam as pessoas de deixarem a cidade, mas elas poderiam sair de casa para ir ao trabalho e à escola. Os bares continuarão abertos, mas com certas limitações.

Veja também:

Como funcionam as eleições presidenciais nos EUA
Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade