0

Pai de Snowden deve viajar para Moscou para se reunir com filho

31 jul 2013
11h37
atualizado às 12h57
  • separator
  • 0
  • comentários

O pai do ex-técnico da CIA Edward Snowden viajará para Moscou para se reunir com o filho, disse nesta quarta-feira o advogado russo Anatoli Kucherena, assessor legal do fugitivo americano. Lon Snowden já havia expressado hoje, em entrevista à televisão pública russa, o desejo de se reunir com o filho em Moscou no momento certo para isso.

"Falamos hoje por telefone (Edward Snowden) e concordamos que ele deve se reunir com o filho. Espero que a tramitação do visto não demore muito", disse Kucherena, citado pelas agências locais. "Ele virá e pensaremos juntos sobre a segurança pessoal de Edward", acrescentou o advogado.

"Ainda não acordamos as datas do encontro, mas para Edward é muito importante a chegada de seu pai. Ele mesmo me pediu para entrar em contato com o filho, já que se encontra em uma situação difícil. Ele necessita de apoio moral", disse.

Por sua vez, o pai do fugitivo reconheceu ter rejeitado há várias semanas viajar para Moscou acompanhado pelo FBI americano, porque não lhe garantiam uma reunião a sós com seu filho. "Eu gostaria falar com meu filho tête-à-tête, sem intermediários, mas o FBI se negou. Depois, tentaram me convencer de que poderia fazê-lo, mas já não acredito. Entendi que não cumprem com a palavra", comentou.

Lon Snowden aproveitou a entrevista para agradecer o presidente russo, Vladimir Putin, pelo que qualificou de "valor, força e determinação" para garantir a segurança de seu filho. "Não me envergonha dizer de todo coração que a Rússia é o país mais seguro para meu filho. A Rússia tem a decisão e a capacidade de defender meu filho, de protegê-lo daqueles que querem fazer-lhe mal", manifestou o pai do fugitivo.

Por outra parte, Kucherena se disse confiante de que Snowden receberá asilo temporário na Rússia, mas, caso contrário, antecipou que recorreriam aos tribunais. "Nesta situação há dois caminhos. Ou se fica na zona de passagem e vive ali até a velhice, já que pode permanecer eternamente no local, ou nós, como a Rússia, exercemos uma missão humanitária e ajudamos a formalizar seu status, que é o que estamos fazendo", disse.

O diretor do Serviço Federal de Migração (SFM) da Rússia, Mikhail Romodánovski, assegurou hoje que o organismo recebeu neste ano mais de mil solicitações de asilo temporário, por isso que o de Snowden "não é um caso único". O porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov, reconheceu que o Serviço Federal de Segurança (FSB, antigo KGB) e o FBI americano mantêm conversas sobre a sorte de Snowden, embora tenha descartado a entrega do fugitivo americano.

EFE   
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade