1 evento ao vivo

EUA, França e Alemanha se unem contra ataque a ex-espião

Sergei Skripal foi envenenado com agente nervoso no Reino Unido

15 mar 2018
12h57
  • separator
  • 0
  • comentários

Os Estados Unidos, França e Alemanha se uniram ao Reino Unido e condenaram nesta quinta-feira (15) o envenenamento contra o ex-espião russo Sergei Skripal, ocorrido no dia 4 de março na cidade britânica de Salisbury, além de responsabilizarem Moscou pelo ataque.
    Os líderes Theresa May, Donald Trump, Emmanuel Macron e Angela Merkel assinaram um comunicado conjunto divulgado por Downing Street, no qual diz que o atentado com agente nervoso é o primeiro do tipo na Europa desde a Segunda Guerra Mundial.
    Segundo o texto, todos estão unidos para responsabilizar a Rússia pelo envenenamento de Skripal e sua filha, principalmente, por não haver "explicação alternativa plausível".
    "Pedimos à Rússia que responda a todas as questões relativas ao ataque em Salisbury", diz a nota conjunta. Em comunicado, o presidente francês disse que "desde o início da semana, o Reino Unido manteve a França informada sobre as provas coletadas pelos investigadores britânicos e os elementos que demonstram a responsabilidade da Rússia no ataque".
    "A França compartilha a opinião do Reino Unido de que não há outra explicação possível e expressa sua solidariedade a seu aliado", acrescenta a nota, ressaltando que Macron e May "concordam na importância da unidade europeia e transatlântica na resposta a este ato".
    Desta forma, o líder da França disse que pretende anunciar "nos próximos dias" as medidas que vai tomar contra Moscou. Ontem (14), durante uma reunião de emergência do Conselho de Segurança das Nações Unidas, a embaixadora norte-americana, Nikki Haley, afirmou que os "Estados Unidos estão absolutamente solidários com o Reino Unido" e que "Washington acredita que a Rússia é responsável pelo ataque".
    Nesta semana, Trump publicou que "condenará a Rússia ou quem quer que seja" o responsável pelo caso. "Parece que pode ser a Rússia baseado em toda a evidência que eles [Reino Unido] têm", disse o magnata aos jornalistas.
    A porta-voz da Casa Branca, Sarah Sanders, inclusive, chegou a afirmar que o "uso de um agente nervoso mortal contra um cidadão britânico, em solo britânico, é um ultraje".
    A chanceler alemã, por sua vez, conversou por telefone com Theresa May sobre o ataque e "condenou firmemente esse ataque e sublinhou que leva muito a sério a opinião do governo do Reino Unido sobre a questão da responsabilidade da Rússia pelo ataque.
    "A Rússia deve responder rapidamente a perguntas legítimas do governo e cumprir o requisito de divulgação plena e rapidamente o seu programa de armas químicas à Organização para a Proibição de Armas Químicas (OPAQ), acrescentou a nota do governo de Merkel.
    Entretanto, o Kremlin prometeu hoje (15) uma resposta rápida depois da decisão "absolutamente irresponsável" de May de expulsar os diplomatas russos. Após vários dias de acusação, a premier britânica adotou medidas contra a Rússia e anunciou a expulsão de 23 diplomatas e o congelamento dos contatos bilaterais, "A posição do lado britânico parece absolutamente irresponsável", declarou à imprensa o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov. As medidas de resposta "naturalmente não se tardarão". Além disso, ele garantiu que o governo de Vladimir Putin não "tem nada a ver com o incidente ocorrido".
    Além disso, o ministro russo do Exterior, Sergei Lavrov, afirmou que vai expulsar em breve os diplomatas britânicos do país. " O fato é que Sergei Skripal e sua filha estão vivos. Espero que, se eles se curarem, sejam capazes de lançar uma luz sobre o incidente", disse em entrevista para a imprensa japonesa e vietnamita.
    Para Peskov, o escândalo crescente sobre o caso de envenenamento "não afeta" a campanha das eleições do próximo domingo (18), que ele classificou como a maior prioridade da Rússia. No último dia 4 de março, a polícia britânica encontrou duas pessoas inconscientes em um banco próximo ao shopping Center em Salisbury, aparentemente intoxicadas com um agente nervoso.
   

Ansa - Brasil   
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade