0

Obama descarta "incursão militar" dos EUA na Ucrânia

Segundo o presidente, diplomacia ainda é o melhor caminho para a crise

19 mar 2014
18h51
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator
<p class="text">Obama declarou que os EUA reforçarão as ações diplomáticas para pressionar a Rússia a aliviar o controle sobre a região da Crimeia</p>
Obama declarou que os EUA reforçarão as ações diplomáticas para pressionar a Rússia a aliviar o controle sobre a região da Crimeia
Foto: Reuters

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, descartou nesta quarta-feira um suposto envolvimento militar norte-americano na Ucrânia, enfatizando a diplomacia no impasse dos EUA com a Rússia sobre a península da Crimeia.

"Nós não vamos entrar em uma incursão militar na Ucrânia", disse Obama em entrevista à emissora KNSD, filial da NBC em San Diego.

Obama, que impôs sanções a 11 funcionários russos e ucranianos na segunda-feira, disse que os EUA irão reforçar as ações diplomáticas para pressionar a Rússia a aliviar o controle sobre a região da Crimeia, no sul da Ucrânia.

"Há um caminho melhor, mas acho que mesmo os ucranianos reconheceriam que se envolver militarmente com a Rússia não seria apropriado e não seria bom nem para a Ucrânia", disse Obama.

Veja também:

Miley Cyrus incentiva fãs a votarem nas eleições americanas
Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade