0

Guerra civil síria supera 170 mil mortos em 3 anos, diz ONG

Segundo o Observatório Sírio de Diretos Humanos (OSDH), 46.301 vítimas eram rebeldes e 65.803 pertenciam ao regime ou a milícias pró-governo

10 jul 2014
11h51
atualizado às 12h50
  • separator
  • 0
  • comentários

Mais de 170.000 pessoas morreram no conflito civil iniciado em 2011 na Síria, um terço delas civis, anunciou nesta quinta-feira uma ONG.

<p>Membros do Exército Livre da Síria disparam uma metralhadora durante uma ofensiva para assumir o posto de controle al-Zaalana, que permanece sob o controle do governo, em Idlib, em 9 de julho</p>
Membros do Exército Livre da Síria disparam uma metralhadora durante uma ofensiva para assumir o posto de controle al-Zaalana, que permanece sob o controle do governo, em Idlib, em 9 de julho
Foto: Khalil Ashawi / Reuters

"Desde que foi registrada a primeira vítima da revolução síria, no dia 18 de março de 2011 na província de Deraa (sul), foram documentadas as mortes de 171.509 pessoas", indicou o Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH).

Entre os falecidos, há 56.495 civis, dos quais 9.092 crianças, de acordo com este novo balanço que informa sobre as vítimas do conflito até 8 de julho.

Outros 65.803 mortos são soldados do regime e milicianos pró-governamentais, e 46.301 são rebeldes que lutam pela queda do presidente Bashar al-Assad.

Entre os rebeldes há 15.422 estrangeiros, que viajaram ao país para se unir aos jihadistas e a grupos islamitas locais de oposição.

Por último, 2.910 vítimas não foram identificadas, segundo a ONG opositora.

Entre os mortos das forças leais ao governo há 39.036 soldados regulares, 24.655 milicianos, 509 combatentes do movimento xiita libanês Hezbollah e outros 1.603 estrangeiros.

O Observatório, com sede na Inglaterra, conta com uma ampla rede de ativistas, médicos e advogados na Síria que informam sobre as vítimas. No entanto, a ONG afirma que o verdadeiro número de mortos dos dois lados provavelmente é muito maior.

Segundo o OSDH, o número de mortos é difícil de estimar porque "os dois grupos tentam ocultar suas verdadeiras perdas".

O Observatório acrescenta que foi perdida a pista de 20.000 pessoas detidas pelo governo e de 7.000 soldados regulares capturados pelos rebeldes.

Outras 2.000 pessoas estão atualmente nas mãos de grupos islamitas e, em particular, dos jihadistas do Estado Islâmico, acusadas de colaborar com o regime de Damasco.

O conflito sírio obrigou quase a metade da população do país a se deslocar.

Entenda os conflitos na Síria Entenda os conflitos na Síria: Confrontos começaram em março de 2011, se transformaram em guerra civil e já fizeram milhares de mortos e outros milhões de refugiados

AFP Todos os direitos de reprodução e representação reservados. 
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade