0

Covid-19 fez avanços globais de saúde recuarem décadas, diz Fundação Gates

15 set 2020
12h44
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Os efeitos secundários da pandemia de coronavírus detiveram e reverteram os avanços globais de saúde, fazendo-os regredirem 25 anos e expondo milhões de pessoas ao risco de doenças mortais e da pobreza, alertou um relatório da Fundação Bill & Melinda Gates nesta terça-feira.

Mulher volta para casa após receber vasilha de sopa durante a pandemia de Covid-19 em Villa Azul, nos arredores de Buenos Aires
29/07/2020 REUTERS/Agustin Marcarian
Mulher volta para casa após receber vasilha de sopa durante a pandemia de Covid-19 em Villa Azul, nos arredores de Buenos Aires 29/07/2020 REUTERS/Agustin Marcarian
Foto: Reuters

Por causa da Covid-19, a pobreza extrema aumentou 7%, e a cobertura de vacinas de rotina --uma boa medida indireta para avaliar como os sistemas de saúde estão funcionando-- está caindo para níveis vistos pela última vez nos anos 1990, segundo o relatório.

"É um revés enorme", disse Bill Gates, copresidente da entidade e filantropo e financiador destacado de saúde e desenvolvimento globais, em uma entrevista coletiva a respeito das conclusões do documento.

O relatório, que monitora o progresso dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas (ODS) de reduzir a pobreza e melhorar a saúde, descobriu que no último ano o mundo regrediu em quase todos os indicadores.

Além da queda no índice de imunizações de rotina, que o relatório disse ter "feito o mundo regredir cerca de 25 anos em 25 semanas", os níveis ascendentes de pobreza e o dano econômico da pandemia estão reforçando as desigualdades.

O relatório revelou que a pandemia tem um impacto desproporcional em mulheres, comunidades de minoria racial e étnica e em pessoas que vivem na pobreza extrema.

"Depois de 20 anos consecutivos de declínio da pobreza extrema, agora vemos uma reversão", disse Mark Suzman, executivo-chefe da Fundação Gates, em uma entrevista à Reuters. "Vimos quase 40 milhões de pessoas serem arrastadas de volta à pobreza extrema. Isso é bem mais de 1 milhão por semana desde a chegada do vírus".

O documento citou projeções do Fundo Monetário Internacional (FMI) segundo as quais, apesar dos 18 trilhões de dólares já gastos para se tentar estimular economias de todo o mundo, a economia global perderá 12 trilhões de dólares ou mais até o final de 2021 --a maior perda de PIB mundial desde o final da Segunda Guerra Mundial.

Embora o cenário seja "desolador" no momento, Gates disse estar confiante de que o mundo emergirá da pandemia e retomará o progresso rumo às metas de melhoria da saúde global.

"Que nos tome dois anos, ou mesmo três, realmente acreditamos que superaremos isto e voltaremos aos trilhos", disse.

((Tradução Redação São Paulo, 5511 56447759)) REUTERS ES

Veja também:

A igreja que conecta fiéis a Deus com a ajuda do álcool
Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade